Por... Os Segredos que Guardamos



Ei! Tudo bem?
Espero que sim! 

Como havia dito para vocês, na resenha de Os Segredos que Guardamos, eu estava planejando com muito carinho uma postagem que fosse sobre os personagens do livro, mas sem a parte de ficção. É uma obra muito importante, tem uma história verdadeira, e eu não vi sentindo em deixar esses protagonistas reais de lado. Então vamos lá!

Olga Ivinskaya (1912-1995)
Olga foi uma personagem muito importante para a história de Doutor Jivago, como amante do autor, ela é a alma de Lara, a protagonista do livro. Por ter tanta influência, Olga acaba parando em um gulag (campo de trabalho forçado da União Soviética), onde sofreu em cada segundo até finalmente conseguir sair. 

Porém, sua força não acaba aí, Olga mesmo já tendo passado pelas ruínas do governo soviético, luta para que Doutor Jivago seja publicado, a obra revolucionária havia mudado a sua vida e ela precisava que estivesse de forma livre pelo país. 

Infelizmente, ela e sua filha, Irina, vão para um gulag quando o livro é publicado no exterior, e hoje só sabemos sua incrível história, porque Irina decidiu nos contar quando emigrou para a França em 1985.

Boris Pasternak (1890-1960)
Grande poeta russo, Boris nasceu em Moscou (na época Império Russo) e morreu na parte russa da União Soviética. Estudou filosofia na Alemanha e trabalhou, na Primeira Guerra Mundial, em uma Usina, onde teve inspirações para Doutor Jivago. 

Boris não consegue a publicação de seu livro mais famoso na URSS, porque era considerada uma obra anti-soviética. Com esse quê revolucionário, é até estranho que Pasternak nunca chegou a ser mandado para uma gulag, ele apenas se isolou e parou de produzir. Na Rússia, era mais conhecido como poeta do que como romancista, porque Doutor Jivago não chega a ser reconhecido, apesar de ter ganhado o Prêmio Nobel, que Pasternak, infelizmente, precisou negar para se preservar das autoridades russas. 

Doutor Jivago (livro de Boris Pasternak) 
Sinopse: Boris Pasternak reconstitui parte da história moderna da Rússia ao narrar o drama vivido pelo médico e poeta Iúri Jivago, que foi preso pelos bolcheviques e obrigado a colaborar com eles. Criado durante a Primeira Guerra Mundial, incapaz de controlar seu destino diante da revolução e da guerra civil entre o Exército Branco e o Vermelho, Iúri Jivago firmou-se como um dos grandes heróis da literatura russa.

Doutor Jivago é uma das maiores obras que a gente tem e a leitura é muito necessária se você gosta de Romance Histórico e da história da Revolução Russa. Se é esse seu estilo de leitura, vá, porque esse livro teve muitos conflitos para ser publicado, então vamos reconhecê-los e vamos prestigiar os esforços de Olga e Boris. 

Se você não é muito desse gênero, mas quer conhecer a história, assistam ao filme - que é maravilhoso - dirigido por David Lean em 1966. Essa história na sétima arte ganhou cinco Oscar, incluindo Melhor Roteiro Adaptado. E se o filme dos anos 60 também não for para você, é só esperar um pouco, porque Michael Hirst - criador de duas séries que eu amo, Vikings e The Tudors - está para adaptar a história em formato de série, e eu já tenho certeza que vai ser uma grande obra assim como o livro e o filme. 

Giangiacomo Feltrinelli (1926-1972)
Como estudante de Letras: Italiano, eu não sei nem como falar sobre esse editor que eu adoro e é completamente controverso. Feltrinelli fundou uma das maiores editoras italiana, Giangiacomo Feltrinelli Editore, e era um grande militante da extrema esquerda. Lutou na Segunda Guerra contra o fascismo, era grande leitor de Marx e foi ele que conseguiu pegar Doutor Jivago lá na União Soviética para publicar em sua editora na Itália. A publicação de Il Dottor Zivago se tornou best-seller graças a esse revolucionário. 

Doutor Jivago foi publicado pela primeira vez na Itália em 1957, dois anos depois de Pasternak terminar o exemplar, e chegou à União Soviética em 1989, quando o livro é, finalmente, autorizado pelo governo. 

Como estamos falando do que vemos no livro Os Segredos que Guardamos, não vou entrar em mais detalhes da vida de Feltrinelli, mas se você tiver curiosidade, é muito legal toda a sua trajetória e luta para a esquerda, além disso, sua morte é um grande mistério, o que nos dá várias teorias maravilhosas!

Missão da CIA 
Em Os Segredos que Guardamos conhecemos Irina que tem a missão de infiltrar Doutor Jivago na URSS, e sim, foi uma missão real. 

Quando Feltrinelli consegue publicar a obra em italiano, ele ainda cede os direitos para a publicação da história em mais dezoito línguas, a CIA logo aparece com uma outra intenção: colocar Doutor Jivago (em sua língua original) na União Soviética de forma clandestina, já que a publicação fora proibida. Assim, é na Feira Mundial de Bruxelas de 1958, que cópias adulteradas do livro são compartilhadas para que voltem ao seu lugar de origem. Essa missão funciona tanto, que pesquisadores acreditam que isso só ajudou a Pasternak ganhar o Prêmio Nobel que, por consequência, levou uma crise até a União Soviética. 


Essa é a realidade que temos dentro de Os Segredos que Guardamos, tudo isso está de forma indireta no livro e vocês podem conhecer muito mais o lendo. A Intrínseca publicou a obra tanto no Clube Intrínsecos (já falei aqui) quanto na capa original, nesta versão vocês podem comprar na Amazon

Obrigada por lerem e chegarem até aqui, um beijo, um queijo e um grande abraço virtual!




Comentários

  1. Gostei bastante do artigo de hoje, sempre estou aqui acompanhando seu blog. Tenho aprendido muitas coisas legais aqui.

    Beijos 😘.

    Meu Blog: 10 Tendência de Moda

    ResponderExcluir

Postar um comentário