Slide

Blog Conheça o novo Cores 07/02/2019

E a Amazônia? Como fica?



Olá, pessoas.
 Tudo bem?

O texto de hoje vai ser um pouquinho diferente. Vocês se lembram que no início do ano começamos com um quadro aqui no site chamado de Chá das Seis, correto? Infelizmente, por falta de tempo, acabamos deixando o quadro de lado, no entanto, eu e Cecis achamos necessário realizar essa "edição especial". Eu tenho algumas resenhas literárias já programadas para as próximas semanas e prometo que sábado que vem voltamos a nossa programação normal, mas vamos falar um pouquinho sobre o que está acontecendo na Amazônia e como isso não afeta só a minha ou a sua vida, mas todas as pessoas do mundo? Aquecimento global, efeito estufa, crise hídrica, extinção de diversos animais e espécies… tudo parece cenário de um filme de ficção científica e é algo muito distante da nossa realidade, não é mesmo? Muito se fala a respeito, mas e na prática, tá realmente acontecendo? Devemos nos preocupar? De acordo com um estudo publicado pela ONU e realizado pelo IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas), a população mundial só tem apenas 12 anos para repensar seus hábitos e cuidar do meio ambiente para reverter o aquecimento global e as mudanças climáticas. Parece alguma realidade muito distante, ma segundo palavras de David Boyd, relator especial da ONU: 
“A mudança climática está tendo – e terá – efeitos devastadores em uma ampla gama de direitos humanos, incluindo direitos à vida, saúde, alimentação, moradia e água, bem como o direito a um ambiente saudável. O mundo já está testemunhando os impactos da mudança climática: de furacões na América, ondas de calor na Europa, secas na África e enchentes na Ásia”
Segundo o relatório de mais de 400 páginas publicadas pelo IPCC, a população precisa limitar o aquecimento da terra em, no máximo, 1,5ºC até 2031. O dióxido de carbono produzido pelas inúmeras atividades humanas também precisam ser reduzidas à 45% até 2030 e totalmente eliminadas até 2050. O aumento da temperatura, ainda que pensemos que 1,5ª é pouco, traz consequências gravíssimas, como o aumento do nível do mar e a completa extinção de biomas e ecossistemas.



Só no ano de 2019 - e ainda estamos em agosto - foram registrados mais de 53.364  focos de queimadas só na Amazônia (Fonte: INEP). Para fazer uma comparação, no mesmo período em 2018 foram 26.500. Quais são os fatores que contribuiram para o aumento alarmante? As políticas assinadas pelo atual governo que favorecem a agropecuária e a indústria de produção de carne. Florestas são queimadas para serem transformadas em pastos para a criação de gado; o mundo nunca consumiu tanta carne e os pastos não são suficientes para suprirem o consumo de carne. A demarcação das terras indígenas, a perda de territórios, a negligência das fiscalizações e, acima de tudo, o incentivo aos desmatamentos para a produção agrícola são os principais fatores e o resultado é um banho de sangue com consequências catastróficas para o mundo. Em uma recente entrevista, o Ministro do Meio Ambiente afirma que o número de queimadas cresceu por estarmos passando por uma estação seca. No entanto, segundo a diretora científica do Ipam (Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia), Ane Alencar:

"Em anos de seca muito extrema, os eventos de seca favorecem que, mesmo com desmatamento menor, você tenha um maior número de incêndios. Mas este ano não é de seca extrema. O que mostram nossas análises é que o aumento no número de focos de fogo está associado estritamente ao tanto de desmatamento que tem ocorrido na Amazônia", afirma a diretora científica do Ipam, Ane Alencar.


Não faz muito tempo que vimos estampados nos jornais do mundo inteiro que países como a Alemanha e a Noruega retiraram o apoio de mais de 133 milhões de reais, investidos para o combate ao desmatamento da Amazônia e as políticas de meio ambiente. De acordo com os ministros dos países, o Brasil não cumpriu com o acordo firmado entre os países e como o governo atual não tem interesse em dimunuir e fiscalizar o desmatamento em solo Amazônico, o dinheiro foi congelado. Em uma declaração recente, o presidente justifica o corte das verbas pois há muitas fraudes na divisão e repasse do dinheiro para ONGs que fiscalizam as políticas ambientais e cuidam dos direitos dos índios. Desde o início de seu mandato, o presidente vem sofrendo grande pressão devido à tomada de decisão com relação as políticas ambientais, como a diminuição da rede de proteção ambiental, redução na demarcação do território indígena, entre outros. 

Num geral, é tudo muito triste e revoltante e se vê muitos movimentos em redes sociais e trabalhos de consciencialização ambiental, porém, muito pouca coisa ainda se está fazendo de fato. Sabemos da existência do problema e de suas consequências,  mas varremos para debaixo do tapete e fazemos vistas grossas, Até que no dia 19 de agosto de 2019, São Paulo, a maior cidade brasileira, vira a noite, às 15 horas da tarde. O motivo? Além de uma massa de frente fria que chegou ao sudeste, a fumaça advinda das queimadas que ocorrem desde o final de julho na região da floresta. É tudo muito preocupante, mas quando de fato o problema bate à sua porta é que as pessoas procuram se consientizar sobre e buscar mudanças. Hoje, dia 22 de agosto (dia em que escrevi o texto), a NASA divulgou a imagem abaixo que demonstra que a fumaça das queimadas pode ser visto do espaço. Preocupante, não?



Para efeitos práticos, vamos imaginar o que a destruição da Amazônia acarretaria para o Brasil e para o mundo. Todos sabem que a floresta é considerada patrimônio mundial e pulmão do mundo. Em suas terras, existem inúmeras espécies animais e vegetais que só existem lá. Dá pra ter noção da particularidade do bioma? O ecossistema se encontra gravemente prejudicado e reduzido devido por queimadas, desmatamentos desenfreados e tráfego de animais. Uma situação que se arrasta por décadas e atravessam governos. Em suas autoria, estão as mãos dos empresários, latifundiários, e gente com muito dinheiro, preocupado em lucrar cada vez mais, sem se preocupar com o meio ambiente. É muito fácil apontar dedos e dizer que foi fulano, foi Beltrano e cruzar os braços. A verdade é que a Amazônia vem sendo tratada como lixo a anos, na mão da esquerda, da direita e de quem mais quis lucrar as custas do seu verde e não adianta chorar pelo leite derramado e  continuar nessa polarização política. As árvores são responsáveis por transformar o gás carbônico em oxigênio, além de garantirem a normalização das temperaturas. Sem árvores, sem oxigênio. A matemática é simples. E a conta tá no vermelho. Com o aumento de temperaturas, as fontes de água potável e próprias para o consumo desaparecem. Sem água, sem vida. As calotas polares estão derretendo e aumentando o nível de água dos oceanos, cidades estão sendo inundadas e cada vez há mais desastres naturais acontecendo, como inundações na Índia, terremotos na Grécia, furacões nos EUA, entre outros inúmeros, citando apenas os ocorridos em 2019. Culpa da natureza ou culpa do homem? Estamos produzindo cada vez mais lixo e consumindo nossos recursos de forma assustadora. Semana passada, segundo uma pesquisa realizada pela GFN (Global Footprint Network), os recursos naturais necessários para a nossa sobrevivência durante um ano se esgotaram agora em agosto. Ou seja, consumimos o valor total de água potável, matérias primas e alimentos que a Terra seria capaz de repor sem danos ao meio adiante. Os danos dessa escassez já são vistos: Falta de água, desertificação, erosão dos solos, queda da produtividade agrícola e das reservas de peixes, desmatamento, desaparecimento de espécies. Em 2025, a ONU prevê que aproximadamente 2,7 bilhões de pessoas podem enfrentar séries crises hídricas. O quadro é sério, os números são alarmantes e nosso tempo está acabando: Estamos a beira de um colapso ambiental sem precedentes.

Tá, mas por que estou eu estou falando todas essas coisas? Porque acredito que a melhor maneira de tormarmos ação perante algo é obter todas as informações possíveis sobre o assunto. Acredito que nossa função como "influenciador digital" é trazer diversão e entretenimento, mas não podemos nos omitir perante assunto tão sério e que irá afetar a todos, sem exceção.

Ok, eu moro longe, como eu posso ajudar? Como eu posso fazer a minha parte? Como podemos reveter esse quadro ou, ao menos, minimizar os efeitos? De acordo com essas perguntas, eu elaborei uma listinha com seis coisas básicas que podemos colocar em prática a partir de hoje e que vão ajudar - e muito.


1: A regra dos "3 R's" : Reduzir. Reaproveitar. Reutilizar. As matérias primas estão acabando, resultado do consumismo desenfreado da população. O meio ambiente é destruído e dizimado justamente para atender a nossa demanda desenfreada de consumir cada vez mais e sem necessidade.  Muito lixo é produzido diariamente e descartado da maneira incorreta. Não podemos voltar no tempo e "desfazer" o que foi feito. Mas por que não pensamos em uma maneira de reduzir a criação de novos materiais e reaproveitar o que já foi feito? Reciclar e transformar a matéria prima em produtos reutilizáveis e duráveis. Eliminar toda essa sujeira que todos os dias lotam os lixões, rios e mares. Na teoria é tudo muito fácil, mas por onde começar?  Eu também não sou muito bom no assunto, mas achei um texto bem bacana aqui que ensina você a como produzir menos lixo com atitudes simples, além de dar dicas ótimas de como reaproveitar seu lixo de maneira consciente e ser mais sustentável e limpo. É de suma importância nesse processo todo realizar a separação correta do seu lixo de forma a maximizar a quantidade de produtos que serão reaproveitados. Esse site aqui dão dicas muito maravilhosas e são coisas mega fáceis de serem colocadas em prática. Como um bônus, para as pessoas que possuam crianças em casa, é uma ótima chance de educar sobre conscientização ambiental desde sempre. Por fim, mas não menos importante, achei o Instagram incrível chamado de Uma Vida Sem Lixo, em que Cristal Muniz dá dicas muito valiosas sobre como reduzir seu lixo e reaproveitar ao máximo e também para a criação de produtos orgânicos. Cristal também publicou um livro sobre o assunto chamado de Uma vida sem lixo: Guia para reduzir o desperdício na sua casa e simplificar a vida e, caso vocês tenham se interessado pelo tema, vou deixar o link para adquirí-lo aqui.



2: Reduzir o consumo de carne: Parece até engraçado pensar nisso. "O que eu deixar de comer o meu hamburger vai mudar no mundo?". Tudo. Mais de 65% do território desmatado aqui no Brasil (principalmente na Amazônia) serviu para dar lugar a pastos e a indústria da pecuária. E isso é resultado de DÉCADAS de exploração desenfreada, não é um problema recente, no entanto, devido às políticas que beneficiam a indústria, esse número tem crescido a uma velocidade assustadora. Como podemos ajudar? Primeiramente, evitar comprar e consumir carne das grandes indústrias. Sei que é complicado e no mercado não temos muita escolha, mas se você consumir produtos de pequenos agricultores e criadores de gado, além de você estar ajudando os produtores locais, é uma maneira de diminuir essa indústria tão cruel. Outra opção é reduzir o consumo de carne, caso não seja possível adquir produtos locais. Se você reduz em 50% o seu consumo de carne - algo em torno a não comer 3 dias na semana - você já ajuda a diminuir essa produção. Segundo relatório da IATP (Instituto de Política Agrícola e Comercial), as cinco maiores empresas de carne e laticínios, somadas, já são responsáveis por mais emissões de poluentes na atmosfera. Faz um tempo - aproximadamente dois anos - que venho tentando cortar a carne da minha dieta e não digo para ninguém virar vegetariano ou vegano. Eu mesmo não consigo seguir uma dieta 100% vegetariana, o que estou falando é sobre redução e diminuição na quantidade de carne e produtos de origem animal consumidos. É mais fácil do que parece, ainda mais hoje em dia que existem inúmeros produtos - naturais - que podem ser utilizados para substituir a carne. Outro dado alarmante é que a população tem consumido mais carne do que o necessário para manter a saúde e o bem estar.  Pensando nisso, resolvi trazer pra vocês uma lista de receitas  vegetarianas e veganas muito gostosas, fáceis de fazer e baratas (mais do que carne, inclusive). Existem inúmeras opções e você pode variar à vontade, de acordo com seu gosto, paladar, orçamento e tempo. O aplicativo Pinterest também possui inúmeras receitas, basta digitar "Receitas vegetariana/veganas", escolher a melhor opção e se deliciar. Ele está disponível para Android e IOs e também possui a versão para navegadores, caso queiram acessar de notebooks e computadores.


3: Fiscalizar e Cobrar: Eu não votei no atual presidente. Em minha humilde opinião, ainda acredito que ele foi a pior escolha entre todos os candidatos. A cada novo posicionamento, medida ou política adotada, mais tenho certeza de que não é, nem de perto, a pessoa certa para governar o nosso país. No entanto, o fato de não ter votado não me exime da responsabilidade de cobrar e fiscalizar o que ele  e seus ministros fazem. Nós, como brasileiros, temos a OBRIGAÇÃO de cuidar não só dá Amazônia, mas do país como um todo, a começar por sua rua. Fiscalizar o uso do dinheiro público e nos certificar de que o dinheiro está sendo investido da maneira correta. Para servir como inspiração, achei esse site aqui que contém 5 projetos ambientais implementados em vários locais do mundo voltados para a sustentabilidade do meio ambiente. Devemos fazer pressão e não nos calarmos diante da recusa com a verba enviada por países para a proteção da Amazônia.

Famoso letreiro em Amsterdã

4: Evite o desperdício: Essa dica se encaixa muito no conceito de reciclar, reaproveitar e reutilizar. A gente desperdiça diariamente alimentos e matérias primas, mas também água, item vital para a nossa sobrevivência. De acordo com a ONU, uma pessoa precisa consumir algo em torno de 110L de água por dia, pois é o suficiente para passar bem o dia e realizar coisas básicas, como higiene pessoal, para cozinhar, realizar tarefas de casa e para consumo próprio. Aqui no Brasil, esse consumo é praticamente o dobro disso. Não podemos mais viver no conto de fadas de que a água é eterna. Evite banhos muito longos e demorados. Feche sempre as torneiras quando não estiver usando. Use com moderação ar condicionado e energia elétrica, principalmente em períodos de seca, pois ajuda a economizar água. Aqui nesse site, existem mais algumas dicas de como economizar água e salvar energia.


5: Vem Pra Rua: O assunto é sério. O mundo voltou suas atenções para o Brasil e parecem que seus governantes não estão nem aí para o que está acontecendo. A imprensa fecha os olhos e tenta desviar a atenção da população com outros assuntos de menor importância. Iremos fazer o mesmo e deixar tudo virar pó? Na tentativa de frear o desmatamento e combater as políticas citadas, algumas passeatas nas principais capitais estão sendo programadas para os próximos dias em todo solo brasileiro. É muito importante comparecer e demonstrar a nossa força, não podemos mais ficar na inércia e aceitar as coisas enquanto o maior ecossistema mundial vira chamas.




6: Apoiar e divulgar projetos de preservação do meio ambiente: Ambientalistas e ONGs que trabalham na reabilitação do meio ambiente sofrem boicotes extremos por parte de pessoas ricas cujos interesses são opostos à preservação. Ativistas são brutalmente assassinados, suas famílias são ameaçadas e muita gente já foi silenciada. Aqui você encontra uma lista de diversas ONGS e seus respectivos projetos voltados para a preservação das matas, dos animais e de preservação dos direitos indígenas e como você pode ajudar cada um deles. Tá com a grana curta? Compartilha em suas redes sociais, manda pro seu amigo, pro seu tio e pro vizinho. Faça com que a voz dessas pessoas sejam ouvidas e cheguem a quem de fato pode fazer algo relativamente grande para a reabilitação do país.

Eu não vou me estender muito pois não é o intuito desse texto. Resolvi fazê-lo justamente por achar uma boa ideia centralizar todas as informações em único conteúdo; no nosso mundo altamente globalizado, fica difícil filtrar o que é verdade ou não, mas deixei todos os links das pesquisas e matérias que eu li para a formulação desse texto e que vocês podem conferir sem problema algum. Também estou aberto à discussões a respeito do tema, é só me chamarem. Compartilhem com seus amigos e familiares, vamos entender o problema e focar na solução.

É uma situação desesperadora e preocupante e que dificilmente irá se reverter da noite pro dia. A nossa função é tentar mudar o nosso pensamento e a forma de agir diariamente. Pode parecer insignificante, afinal, sou apenas um dentre os 7,7 bilhões de pessoas desse mundão. Mas vamos começar com passos de formiguinhas. Não é nada impossível. Impossível mesmo é continuarmos na ignorância e no escuro enquanto vamos em direção ao fim.

Quando a última árvore tiver caído,
...quando o último rio tiver secado,
...quando o último peixe for pescado,
...vocês vão entender que dinheiro não se come.