Slide

Blog Conheça o novo Cores 07/02/2019

Lista: Literaturas LGBTQ+


Olá, meus queridos!

É, eu sei, eu sumi. Estou numa correria louca, tentando muito me organizar e conciliar outros projetos com a vida adulta. Prometo tentar fazer o meu melhor e aparecer mais vezes aqui no Cores, tudo bem?

Falando nisso, o que mais tem no post de hoje é cor! Eu sei que já estamos em julho, e novamente podem culpar a minha falta de tempo e organização, esse texto era para ter saído no mínimo há duas semanas atrás, mas agora não adianta chorar pelo leite derramado. Snif, snif.

Estamos na primeira semana de julho e durante o mês passado todo muito se ouviu falar sobre o mês de orgulho LGBTQ+. Para quem não sabe, junho não foi escolhido de forma aleatória para representar o mês de conscientização contra a homofobia, transfobia, entre outros. No dia 28 de junho de 1969 ocorreu em Nova York a revolta de Stonewall que se tornou um dos marcos ao pensarmos no assunto. Na época, um grupo de jovens que frequentava um bar gay, resolveu enfrentar a polícia por já estarem cansados de serem agredidos e insultados. O grupo permaneceu confinado no bar durante vários dias e rapidamente uma multidão começou a apoiar o movimento. O dia é tão importante que foi escolhido para representar o dia do orgulho LGBT.

O movimento recém completou 50 anos e ainda há muita coisa a ser feita. Apesar de hoje as coisas estarem um pouco melhores e as pessoas mais esclarecidas acerca do tema (alguns, infelizmente, nem tanto), o Brasil ainda é um dos países mais homofóbicos do mundo. 

Pensando nisso, pensei em trazer aqui pra vocês uma listinha com alguns livros que trazem a temática LGBTQ+ à tona de uma maneira leve e divertida e também para mostrar que amor é amor, independente de cor, credo, raça ou sexualidade. Hoje em dia o tema tem ganhado cada vez mais reprodução e notoriedade e na literatura não seria diferente. Sejam autores nacionais ou estrangeiros, grandes best sellers ou romances pouco divulgados, é muito importante que o tema seja cada vez mais discutido e levado à conhecimento das pessoas para que possamos enfim chegar à uma sociedade justa e igualitária para todos, sem distinções.

Livro 1: Com Amor, Simon
Autor(a): Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Páginas: 270
Sinopse: Simon Spier tem dezesseis anos e é gay, mas não conversa sobre isso com ninguém. Ele não vê problemas em sua orientação sexual, mas rejeita a ideia de ter que ficar dando explicação para as pessoas — afinal, por que só os gays têm que se apresentar ao mundo? Enquanto troca e-mails com um garoto misterioso que se identifica como Blue, Simon vai ter que enfrentar, além de suas dúvidas e inseguranças, uma chantagem inesperada.
Eu já falei sobre essa DELÍCIA de livro em um outro post aqui no site, então não tem muito pra falar sobre. Caso queiram mais detalhes e ler a crítica e resenha completas, basta clicar aqui. É uma leitura leve, dinâmica, divertida, reflexiva e de aquecer o coração. Becky é uma ótima autora e ela sempre procura escrever sobre temas bem difíceis dessa maneira leve e descontraída.

Livro 2: Will & Will
Autores: John Green, David Levithan
Editora: Galera Record
Gênero: Romance, comédia
Páginas: 352
Sinopse: Em uma noite fria, numa improvável esquina de Chicago, Will Grayson encontra... Will Grayson. Os dois adolescentes dividem o mesmo nome e a dor do coração partido. Um Will é amigo do mais expansivo gay de sua escola. O outro precisa explicar à própria mãe sua orientação sexual. Até que Tiny, o melhor amigo gay do primeiro Will, acaba se tornando o possível amor do outro Will. Apesar das origens completamente diferentes, esses inesperados encontros fazem com que os meninos de mesmo nome estejam prestes a embarcar juntos em uma aventura de épicas proporções. Amor adolescente, intriga, raiva, sofrimento e amizade. Tudo isso temperado com doses maciças de comédia.

Eu conheci esse livro através de um desafio de um clube do livro que participei alguns anos atrás. Em um primeiro momento, logo torci o nariz, porque não sou lá muito fã de John Green e muito menos de romance, no entanto, fui pego de surpresa. A história é muito engraçada e bem desenvolvida, além de criar altas ironias com os tabus da nossa sociedade e brincar com essa ideia de estereótipos que temos. É um livro super fácil de ser lido e muito fluído e eu garanto que você vai dar boas risadas. 

Livro 3: O Ano em Que Morri em Nova York
Autor(a): Milly Lacombe
Editora: Planeta
Gênero: Romance, comédia
Páginas: 256
Sinopse: Casada com a mulher que ama, ela suspeita de que tenha sido traída durante uma de suas viagens de negócios. A angústia de não saber o que se passa, o medo de perguntar, desconfiança e a dúvida, que nunca tiveram espaço na relação – considerada perfeita pelos amigos –, agora rondam o casal. Mas será mesmo que a traição existiu? Ou era o amor que estava minguando? O ano em que morri em Nova York não é só a história de um casamento desfeito por conta de uma suposta traição. Estas páginas trazem a trajetória de uma mulher desde a sua redescoberta até o doloroso rompimento. Uma mulher que assume sua orientação sexual tardiamente, e que luta para fazer a família entender, os amigos apoiarem e os colegas de trabalho aceitarem.
O romance de estreia da jornalista que se transformou em uma das vozes mais ativas na comunidade LGBT traz uma história autobiográfica muito tocante e profunda. Apesar da boa dose de humor que o livro possui, é uma leitura que toca em assuntos bem sérios, principalmente a dificuldade em assumir sua sexualidade para os membros da família. Assuntos como traição e as dificuldades de uma vida a dois também são abordados e a escrita de Milly é maravilhosa. Mesmo sendo um livro um pouco mais sério do que os outros dois anteriores, diria que é uma leitura fundamental. 

Livro 4: Um Milhão de Finais Felizes

Autor(a): Vitor Martins
Editora: Globo Alt
Gênero: Romance
Páginas: 352
Sinopse: Jonas não sabe muito bem o que fazer da vida. Entre suas leituras e ideias para livros anotadas em um caderninho de bolso, ele precisa dar conta de seus turnos no Rocket Café e ainda lidar com o conservadorismo de seus pais. Sua mãe alimenta a esperança de que ele volte a frequentar a igreja, e seu pai não faz muito por ele além de trazer problemas.Mas é quando conhece Arthur, um belo garoto de barba ruiva, que Jonas passa a questionar por quanto tempo conseguirá viver sob as expectativas de seus pais, fingindo ser uma pessoa diferente de quem é de verdade. Buscando conforto em seus amigos (e na sua história sobre dois piratas bonitões que se parecem muito com ele e Arthur), Jonas entenderá o verdadeiro significado de família e amizade, e descobrirá o poder de uma boa história.

Livrinho nacional aqui na lista. ♥ Lançado em 2018, ainda não tive a oportunidade de ler, mas conheço pessoas que amaram a história entre Jonas e Arthur. O livro aos poucos tem conquistado seu espaço e ganhado público e sei que a narrativa traz ótimos debates sobre preconceito, auto aceitação, entre outros. Já está na minha lista de leituras e não vejo a hora de começar!

Agora eu vou pedir um favorzinho pra vocês: Deixa aqui nos comentários algum livro cuja a narrativa seja voltada a temática LGBTQ+. Vamos ampliar nosso conhecimento e entrar em contato com histórias divertidas e diferentes das que estamos acostumados a ler. Eu espero do fundo do meu coração que tenham gostado da postagem e nos vemos daqui um tempinho.

Até breve!