Slide

Blog Conheça o novo Cores 07/02/2019

Mundo Em Caos | Resenha

Foto: Gabriel Ferrari
Olá, pessoas! Tudo bem com vocês?

Eu sei, me perdoem pelo sumiço semana passada. Como alguns de vocês sabem, estou cada vez mais próximo de apresentar o meu TCC e as coisas ficaram um pouco caóticas em minha rotina. Não tenho tido muito tempo pra ler, mas prometo que estou acabando e vou recompensar vocês por todo o tempo perdido. Em meio ao turbilhão de problemas pessoais que tenho enfrentado nesses últimos meses e prazos cada vez mais curtos, encaixei a leitura do volume de estreia da saga escrita por Patrick Ness e trazida pelo Brasil pela editora Intrínseca em uma edição caprichada e de encher os os olhos. Mundo Em Caos foi o meu livro escolhido para maio em parceria com a editora e hoje vim falar um pouquinho dele para vocês.


Autor: Patrick Ness
Editora: Intrínseca
Gênero: Fantasia, ficção, distopia
Número de páginas: 445
Sinopse: Em um mundo pós-apocalíptico, uma infecção rara e perigosa causou o inimaginável: a morte de todas as mulheres. O mesmo germe fez com que os pensamentos dos homens se tornassem audíveis, e agora o caótico Ruído está por toda parte. É impossível guardar segredos no Novo Mundo.Todd Hewitt é o único garoto entre os homens da cidade de Prentisstown, e mal pode esperar para se tornar um deles. No entanto, o lugar esconde algo grave, capaz de mudar o futuro de Todd e do Novo Mundo para sempre. A apenas um mês de se tornar homem, um segredo impensável é revelado, e ele se vê forçado a fugir antes que seja tarde demais. Acompanhado por seu fiel escudeiro, o cachorro Manchee, ele empreende uma jornada repleta de perigos e se depara com uma criatura estranha e silenciosa: uma garota. Mas quem é ela? E por que não foi morta pelo germe como todas as mulheres?


A cidade de Prentisstown é uma colônia localizada no Novo Mundo e acredita-se ser a última cidade que ainda contém vida humana. O Novo Mundo é o nome que se dá para o planeta que os humanos ocuparam após fugirem da Terra. (Na narrativa principal não é explicado o motivo, mas em um conto extra no final do livro o tema é novamente abordado).  Nesse planeta, uma guerra entre os humanos e os Spackles, os nativos da região foi travada para a conquista de territórios e recursos naturais. Durante a guerra, os humanos acreditam que tais nativos selvagens liberaram um germe que contaminou toda a população, dizimando toda as mulheres da sociedade. A cidade de Prentisstown conta somente com 147 habitantes, sendo Todd Hewitt o único menino dessa colônia, uma vez que aos 13 anos de idade, os garotos tornam-se adultos. O germe, além de dizimar a população feminina, trouxe mais um efeito colateral: A perda do silêncio. Os sobreviventes agora são capazes de ouvirem os pensamentos de todas as pessoas e animais próximos, não havendo um minuto sequer de paz. Os pensamentos são denominados de "O Ruído" e é impossível esconder qualquer coisa da cidade, uma vez que seus pensamentos são compartilhado para todos. Em meio ao ensurdecedor mundo caótico dos pensamentos, Todd escuta um som no qual não está habituado em ouvir na floresta que cerca a cidade. Na verdade, se trata da ausência de Ruído. Silêncio. Após se embrenhar na mata com seu fiel cão, eles encontram algo totalmente inesperado. Uma mulher. A última. Rapidamente a história se transforma em uma busca pela verdade e Todd precisa proteger a estranha menina a todo custo. Junto os dois mergulham nos mistérios da cidade e descobrem coisas que, apesar de todo o Ruído na cidade, foram mantidos em segredo.

Quem é aquela garota? Como ela sobreviveu ao vírus? E porque ela não fala?

Eu fiquei muito surpreendido pela narrativa da história. Obviamente, em uma rápida leitura da capa e da sinopse você entende os principais elementos da narrativa, mas não esperava que a mesma fosse tão bem construída e narrada. Certamente como em qualquer distopia, Mundo Em Caos traz diversas críticas sociais e culturais e que o transforma em uma leitura de suma importância, tal como o aclamado O Conto da Aia. O Novo Mundo é totalmente governado por homens e mais uma vez há o debate da supremacia masculina. Nesse mundo criado por homens só existe guerra, destruição e derramamento de sangue. Aos poucos, os sobreviventes se tornam cada vez mais violentos, agressivos e autoritários. O prefeito da cidade é um homem que valoriza a guerra e o poder das armas e priva cada vez mais o acesso da população à educação. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência. Os livros são queimados, não existem escolas e como resultado a população se torna cada vez mais cega e ignorante.  Assim como em Lua de Larvas, um outro livro do gênero e que eu AMO de paixão, o governante possui a clareza de que conhecimento é poder e a única forma de implantar seu governo autoritário é mantendo a população no escuro, sendo mais fácil dominar os habitantes de Prentisstown. Aqui nesse ponto possuímos um outro fator muito interessante pois através do padre Aaron, a religião é utilizada como ferramenta de dominação de forma a subjugar qualquer um que se opõe de maneira diferente do que eles querem. O livro passa uma mensagem muito forte a respeito da quebra da individualidade e isso é muito bem representado através do Ruído, barulho ensurdecedor que contém o pensamento de todos os homens da cidade. Se eu posso ouvir o que as pessoas pensam, eu posso controlar a forma como elas pensam e moldá-las de forma a acreditarem que as minhas verdades são as únicas verdades. Aqui cabe muito bem outra crítica a nossa sociedade atual, não concordam?

O ruído é o homem sem filtro, e, sem filtro, o homem é só caos em movimento.  

Como também já devem ter adivinhado, o livro aborda questões sobre feminismo e a luta por igualdade. Ao meu ver, não foi uma parte muito bem explorada, mas por se tratar de uma trilogia, acredito que nos próximos livros teremos esse movimento tomando mais força (tomara!). Em Mundo Em Caos também retrata as guerras de colonização e a forma como os verdadeiros habitantes da terra são tratados ao terem contato com o "estrangeiro". Vocês estudaram no ensino médio que Novo Mundo era exatamente a forma como os exploradores europeus denominaram o novo continente ao desembarcarem nas Américas. A visão do índio como inimigo, selvagem e ameaçador também fica muito clara, pois essa é a maneira exata que o prefeito descreve os  Spackles, os verdadeiros donos da terra. Mais uma vez a ganância e a sede ao poder e controle dos homens sendo abordados. Mundo em Caos soube misturar em igual medida as críticas a nossa sociedade com a fantasia da história de forma a trazer uma obra correta do início ao fim. Eu gostei demais da maneira com que Patrick escreve e a história me instigava a ler mais, mesmo em alguns momentos a narrativa ter sido um pouco lenta e cansativa. Os bons momentos se concentram nos capítulos finais do livro e que trazem diversas reviravoltas e abrem novas questões que serão discutidos nos volumes seguintes da série e que definitivamente irei ler.

Foto: Gabriel Ferrari


Mundo Em Caos é uma obra atual e que se propôs a colocar o dedo na ferida e apontar diversas falhas de nossa sociedade, governada quase que exclusivamente por homens que não querem nada além do poder. Com sua narrativa ágil, personagens bem construídos e que possui uma ótima história de ficção por trás, se torna um dos meus livros favoritos de 2019. A obra já possui seus direitos cinematográficos adquiridos e em breve, a adaptação chega às telonas. Fiquem ligados!


Livro cedido em parceria com a Editora Intrínseca.

Nota: 4,0  / 5,0  

  1. Parabéns pela resenha! Muito boa.
    Estou lendo um livro um pouco parecido com esse e que também em breve a adaptação chega nas telonas, mal posso esperar e olha que eu nem gostava do gênero.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, muito obrigado! Agora fiquei curioso: Qual livro está lendo? Adoro demais histórias do gênero! Hahahahah

      Excluir
  2. Oi Gabriel.
    Adorei a temática do livro. Sempre gostei bastante de obras que remetem à esse lado mais sombrio e que trazem temas importantes da humanidade.
    Como estou lendo um livro denso (As Vozes de Tchernobyl) talvez não comece esse logo para me recuperar. Mas vou tentar encaixar a leitura para minhas próximas ainda esse ano.
    Beijos.
    Ps: Espero que sua defesa de tese seja ótima.

    Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Jessica!

      Ahhh, obrigado pela indicação. Eu já ouvi falar do título e me interessa bastante, vou procurar a ler logo, embora seja bom dar uma respirada dos temas mais complicados! hahahaha

      Obrigado por seu comentário e tenha uma boa semana.

      (E um super muito obrigado com relação às boas vibrações com relação a apresentação do trabalho! Estou nervoso e está quase chegando, mas vai dar tudo certo, depois vou elaborar um textinho falando sobre! ♥)

      Excluir