Slide

Blog Conheça o novo Cores 07/02/2019

Meus hábitos literários


Foto: Google

Olá, pessoas! 

Tudo bem com vocês?

Hoje eu resolvi trazer um texto um pouquinho diferente para vocês. Para quem acompanha o Cores sabe que geralmente aos sábados eu trago a resenha de algum livro, filme ou série para discutir aqui com vocês, contudo, tenho recebido algumas perguntas no Instagram a respeito de como me organizo e quais são meus hábitos e manias na hora de ler. Por isso resolvi trazer pra vocês algumas dicas de como eu faço pra ler e espero que possam ajudar de alguma forma. 

Vamos lá?

A primeira dica é a de cara mais importante: Saiba da sua rotina e do seu tempo. Como é de suma importância que eu leia bastante para sempre trazer conteúdos diversificados aqui para o Cores, eu leio todo santo dia, algo em torno de 3 a 4 horas. Infelizmente, eu não tenho um vira-tempo (Oi, Hermione, tudo bem?), logo eu precisei fazer algumas modificações em minha rotina para conseguir bater essa meta diária. Infelizmente não posso te dizer como você deve separar um tempo na sua agenda para a leitura, pois só você possui plena noção da sua rotina e dos seus compromissos, tais como escola, trabalho, faculdade, etc. Como eu trabalho na parte da tarde, consigo encaixar as leituras na parte da manhã e da noite, mas você precisa decidir o que fica melhor pra você. É importante salientar que a rotina de leitura precisa ser algo prazeroso, ou seja, você precisa querer separar esse tempo para ler e não tratar apenas como uma obrigação porque você precisa ler mais. Se você não tem o hábito da leitura mas quer mudar isso, comece com pequenas parcelas de tempo e vá aumentando gradativamente. Outro ponto importante é que você não deve se dedicar exclusivamente para a leitura (a menos que você queira, é claro). Não se prive de fazer outras coisas, como sair com seus amigos, ir ao cinema, jogar video-game ou assistir séries, apenas tente encaixar a leitura no meio das coisas que você normalmente faz. Eu tento me policiar bastante com relação a isso: Se deixar eu assisto 50 episódios seguidos de uma série, mas tento sempre ver dois e dedicar o resto do meu tempo para a leitura; muitas vezes nem assisto série ou jogo, mas é porque ler é meu hobby favorito, portanto, não se torna um fardo para mim. O hábito de ler um livro traz muitos benefícios, isso é inegável, porém, precisa ser uma atividade de lazer, de descontração. Se for pra ser algo massante, bora maratonar aquela série nova da Netflix. 

Encontre a sua "praia". Gente, parece besteira, mas pra você ler cada vez mais, é muito importante você identificar seus gêneros literários favoritos. Se eu não gosto de poesia, por exemplo, não espere que eu vá ler 50 livros do gênero. É muito bom você pegar um livro pra ler e se identificar logo de cara com a narrativa e com as personagens a ponto da leitura se tornar tão imersiva que você lê 100 páginas e nem percebe. No meu caso, leituras de terror e suspense fazem parte da minha praia e quando leio livros do gênero, eu leio mais e melhor. Não estou dizendo pra ninguém colocar correntes e se fixar em apenas um gênero ou estilo. É maravilhoso descobrir novos autores e categorias de livros que passariam despercebidos para você. Nesse ponto, devo dizer que fazer parte de um clube do livro tem me ajudado demais nesse aspecto, pois o clube é formado por leitores com gostos diferentes e precisamos ler todos os livros. O resultado é que já descobri coisa muito boa e que antes eu nem iria olhar na livraria. Ler é um ato de aprendizado e você se desafiar a descobrir coisas novas é a melhor coisa que você pode fazer, porém, vá com calma e comece sabendo de suas limitações. Se meu gênero favorito é romance, não adianta pegar It do Stephen King pra ler, vocês não concordam? Faça com que essa transição seja leve e gradual e não abrupta. As chances de você não gostar de um livro são muito grandes quando você muda de estilo assim tão de repente. 

Não tenha medo de abandonar livros. Quando eu comecei na minha vida de leitor, eu achava que se eu pegasse um livro para ler eu deveria ir até o final, independente se estava gostando ou não. Eu já sofri muito por conta disso e ficava meses empacado em livros que estava detestando, mas que não conseguia abandonar pois eu precisa terminá-lo. A vida é muito curta pra perder tempo com livros que você não se identifica. Eu acredito muito que existem certos livros para certas pessoas em certos momentos e o que não funciona para mim agora, pode funcionar no futuro ou funcionar para você. Na minha adolescência eu li alguns livros que simplesmente detestei e que após uma releitura alguns anos mais tarde, se tornaram livros favoritos da vida. Uma leitura ser boa não depende exclusivamente do autor e de sua capacidade de contar histórias, mas também do grau de preparo emocional por parte do leitor. Se você pegou um livro que você já percebeu que a coisa não vai muito pra frente, passe para o próximo sem medo. Acreditem, em algum momento do futuro você vai pegar o livro para ler e aquilo vai fazer sentido para você. Mas também não se preocupe se isso não acontecer, em alguns casos a leitura não é a certa para você e ponto final. 


Post ittttttts. Use e abuse das marcações. Faça com lápis, com caneta, com marca texto, coloca post it, escreve do lado, anota num diário, faça da forma que você acha melhor, mas aproveite o livro como um todo. Confesso que esse é um hábito um tanto quanto recente e que adquiri justamente após começar a escrever aqui para o site. Antes eu tinha a ideia de que meus livros deveriam ser imaculados envoltos em uma bolha de proteção e que ao menor contato com mãos estranhas eles desintregariam. Hoje em dia eu continuo o mesmo maníaco com meus filhos, mas passei a marcar as passagens mais interessantes, reflexivas, algo que seja relevante para a escrita da resenha e assim por diante. Além de você sentir que está aproveitando mais a leitura, pois de fato você está "estudando" o livro em questão, é muito legal para uma releitura visitar as passagens que você marcou e se lembrar de quando você o leu pela primeira vez (bem papo de velho, né?). Eu carrego sempre comigo um estojo com meu kit de leitura que contém post its, lapiseira, borracha, marca textos de diversas cores, régua, mas você pode montar o seu com o que achar melhor. Parece besteira, mas eu passei a ler infinitas vezes melhor após passar a marcar o livro, além de sentir que a qualidade das resenhas aqui para o site cresceu consideravelmente. O mesmo vale pra você que utiliza algum leitor digital. Use e abuse das marcações.

Aproveitando o gancho da dica anterior, aposte em leitores digitais. Se o Gabriel de alguns anos atrás lesse esse texto, ele não acreditaria que somos a mesma pessoa. Eu digo isso porque eu era totalmente contrário a ideia de um leitor digital. Livro é livro físico, que dá pra tocar, sentir, cheirar. Qualquer outra coisa diferente disso era enganação. Quando ganhei o Kindle, eu torci o nariz e achei que não iria me adaptar, porém, hoje não consigo imaginar montar a minha rotina literária sem o uso do leitor digital. Gente, meu escritor favorito é Stephen King, como fazer com os 500 calhamaços que esse homem já escreveu? É muito complicado e até incômodo levar o livro na mochila e pegar pra ler na rua, enquanto estou na fila do banco, por exemplo. Mesmo que eu compre a versão física para ler em casa, sempre mantenho uma cópia em versão digital no Kindle comigo. Dessa forma, consigo ler em qualquer tempinho livre que tiver, depois do almoço, preso no trânsito, esperando o dentista e assim por diante. É algo que agregou coisas positivas em minhas leituras e já li muita coisa através dele. Se você é assim como o Gabriel do passado, tentem dar essa chance para os leitores digitais. No caso do Kindle, ele possui uma luminosidade diferente e uma textura que de fato se assemelha muito às páginas de uma versão física e é realmente muito confortável para ler, porém, existem outras inúmeras opções de leitores, basta apenas encontrar a que melhor se encaixe com você e em sua rotina.

Foto: Google



Bom, gente, eu acredito que consegui cobrir a maior parte dos meus hábitos literários. Como vocês podem ver, não existe nenhum milagre ou nada que seja impossível de fazer. Como citei lá em cima, o hábito da leitura precisa ser algo prazeroso e que desperte a vontade em você de ler. Apesar desses cinco passos funcionarem para mim, talvez não sejam os mais adequados para vocês, o importante é que essa rotina seja a mais próxima da sua realidade como leitor e, obviamente, com o o objetivo que você deseja alcançar. Espero que eu tenha ajudado de alguma forma e que com essas dicas, sua leitura se torne ainda melhor e mais incrível.

Nos vemos próximo sábado e tomara que vocês tenham gostado desse estilo de texto, conta aqui embaixo nos comentários se vocês querem mais conteúdos assim.