Slide

Blog Conheça o novo Cores 07/02/2019

Esse sonho é seu?



Quando pensei nesse título me senti uma coach, essa não é a intenção. Entretanto, a ideia surgiu pelas mudanças desse blog e no que eu gostaria de falar daqui para frente com os leitores, ou seja, vocês. E nada melhor do que começar tentando entender o que está acontecendo, não é?! Iniciar com o tema que passa pela minha e pela sua cabeça constantemente.

Isso porque eu fui criada para alcançar o mundo, acredito que boa parte das pessoas também. Esqueceram de avisar, porém, que o mundo não deve ser alcançado por ninguém, acho que ele deve nos alcançar. Também não avisaram o quão difícil isso seria. Mas tudo bem, porque no final as coisas se encaixam. Mas que coisas, exatamente?

Enquanto a sociedade vai nos moldando para um padrão pré-estabelecido de se formar no colégio para ingressar no ensino superior, e depois ter um emprego lindo que te deixará financeiramente bem, para logo depois ter o amor de sua vida ao seu lado e assim vocês se casarão e terão filhos, a gente vai se esquecendo. Esse papo que a Igreja Católica colocou na cabeça dos seguidores é muito século XVIII. As coisas não podem funcionar assim.

A gente precisa sair do ensino médio sabendo o que vai ser para o resto das nossas vidas, sabendo que em algum momento tudo vai dar errado, para depois tudo dar certo, afinal, nem tudo é fácil. E o pior, é quando crescemos ignorando nossas vontades para que o próximo possa colocar as deles no lugar.

Não é porque existe um alguém que cozinha maravilhosamente bem que essa pessoa precisa seguir a carreira na culinária. Ou não é porque a pessoa que passou a infância montando Lego vai ser alguém da construção. Independente do que a infância disse, o futuro mais rápido é seguir o que suporão para nós. As coisas se tornam mais fáceis se seus pais (que em tese te conhecem melhor do que ninguém) acreditam que você precisa seguir a carreira de decoração, porque você sempre foi ótimo no assunto. Quando estamos perdidos e loucos para abandonar essa vida caótica do capitalismo querendo se isolar em uma floresta, de preferência não habitada, obrigada, a solução de ser de fato, design, por exemplo, parece brilhante.

É assim que a gente molda uma vida sem ao menos perceber que estão moldando ela.

Não estou aqui porque simplesmente consegui me livrar dos meus questionamentos diários de: será que estou fazendo o que realmente quero? Estou aqui porque percebi que esses questionamentos existem para serem, obviamente, questionados. E antes mesmo de me desesperar eu preciso entender que, na verdade, problematizar o assunto é mais importante. E eu sei que muita gente não faz isso por medo, medo de simplesmente perceber que está seguindo o caminho errado para chegar ao lugar errado também. Precisamos trilhar a esquerda para chegarmos à direita, mas nesse caso a direita é o ponto almejado por você.

Então isso que você quer agora, nesse exato momento, é seu ou é de outra pessoa?

Não achem que eu estou falando apenas de realizações profissionais ou de uma vida em que, mulheres principalmente, precisam se casar e ter filhos. Posso dizer que isso se encaixa em qualquer tema.

Tudo está na infância, quando crescemos ouvindo que é melhor não fazer isso, é mais bonito ficar com o cabelo longo, é mais interessante ouvir tal música, é ruim sentar dessa maneira, e por aí vai. Estamos sempre sendo moldados por alguém que pode estar fazendo isso propositalmente ou não.

É claro que existe algo bom a ser tirado, nem tudo precisa ser ignorado, na verdade, nada pode ser ignorado de fato. O questionamento está aí para ser um filtro para descobrirmos o que faz a gente ser... a gente. Só precisamos usá-lo da maneira correta.

O início de um ano traz muitos pensamentos nesse estilo, porque é o momento em que o nosso subconsciente quer enviar um alerta simples, mas que significa muita coisa: podemos mudar agora, você quer?

Nem sempre queremos, nem sempre sabemos que queremos, nem sempre estamos preparados para querer, porque ignoramos os sinais que nós mesmos nos damos. Por isso a gente precisa estar em constante pensamento com nós mesmos para entendermos o que é melhor para nós.

Eu espero que vocês tenham gostado desse estilo de texto que sairá às terças-feiras. Um beijo e paz no coraçãozinho.