Caçadora de Estrelas | Resenha

12 de jan de 2019
Foto: Minha Vida Literária
Oi, gente? Como estão hoje?

Está aberta a temporada de resenhas 2019 aqui no site! Como prometi no texto de semana passada em que comentei com vocês um pouquinho sobre as minhas metas literárias para 2019, hoje trago a resenha do livro Caçadora de Estrelas, da autora brasileira Raiza Varella. Tecnicamente não foi a minha primeira leitura do ano, mas sim a última de 2018, uma vez que finalizei o livro no dia 31. Infelizmente, essa época de final de ano é uma loucura e eu só consegui me organizar pra falar do livro agora, já na segunda semana de janeiro. Foi uma leitura que me surpreendeu de maneira positiva e chegou de mansinho, mas conquistou um grande espaço em meu coração.

Caçadora de Estrelas - Rayza Varella
Título original: Caçadora de Estrelas 
Autor: Raiza Varella
Ano de publicação: 2018
Editora: Verus
Gênero: Romance
Número de Páginas: 448
ISBN: 8576867230
Sinopse: Após flagrar o namorado com outro cara (e ele ainda tem um gosto para homens melhor que o seu!), Eva se arrepende de ter abandonado a família, o gato, o emprego, os amigos e até o país para segui-lo. Com um mau humor feroz de quem acaba de ser traída e sem um tostão no bolso, ela decide que é hora de voltar para casa. Embora a vida em casa esteja bem diferente do que ela se lembrava, Eva é obrigada a seguir em frente e lidar com a situação como uma mulher adulta. Mas o destino lhe prepara uma nova surpresa: um amor proibido. Será Eva corajosa o suficiente para lidar com mais um coração partido, mesmo que seja pela estrela mais brilhante do céu?





Em Caçadora de Estrelas somos apresentados a Eva, uma menina extremamente egoísta e individualista cujo maior objetivo da vida é encontrar a sua estrela. Mas o que seria essa estrela, Gabriel?, vocês podem estar se perguntando. As estrelas, segundo a história contada por sua mãe, representam o grande amor da vida de uma pessoa que iluminam o céu após sua morte. Motivada por esse conto, Eva passa a vida toda buscando o amor nas mãos dos mais diversos caras na tentativa de encontrar quem de fato é sua estrela, todas sem sucesso. Após fugir para Londres com o rapaz em que ela acreditava ser o grande amor de sua vida, as coisas mais uma vez dão errado e Eva se vê obrigada a voltar para o Brasil sem um tostão e com o coração partido.

Há um ditato popular que diz que não há nada que não esteja ruim suficiente que não possa piorar. É nesse estado que Eva se encontra: ao chegar em Santos, cidade em que mora, Eva descobre que seu pai se casou em segredo, seu irmão bateu com o carro e se casou com sua amiga e Gabriel, seu melhor amigo está namorando uma das filhas de sua mais nova madrasta. Como citei acima, Eva é muito mimada e totalmente egoísta e ela acredita que o mundo todo deva girar em torno dela, porém, ao chegar em casa, Eva toma um choque de realidade ao perceber que as vidas das pessoas ao seu redor seguiram adiante e ela precisa encontrar uma maneira de lidar com todas as mudanças repentinas, além de entender os sentimentos românticos que surgem por Gabriel, seu melhor amigo.

Mesmo que toda essa simplicidade comprove que Eva nunca fez questão de me impressionar, me acalma saber que tenho por perto alguém que sabe que não precisa ser perfeita para me agradar.

Quem me conhece sabe que eu não gosto de romance, ainda mais com esse enredo de filme de sessão da tarde. Não se enganem, o livro daria um ótimo filme pra ser exibido numa quarta-feira, porém, é aquele tipo de filme bom que você quer assistir sempre. A história é muito delicada e linear, e pela escrita eficiente de Raiza, fica claro o sucesso na execução da narrativa, que segue sem muitas surpresas e reviravoltas de explodir a cabeça, mas se mantém regular do início ao fim. Sei que já falei isso, mas o livro foi realmente escrito de uma maneira muito cativante e é muito fácil você se conectar com a história e os personagens, mesmo o enredo não sendo lá um dos mais originais.


Foto: Gabriel Ferrari
Eu devo dizer que eu nunca ri com uma história antes igual eu ri com Caçadora de Estrelas. A maneira irônica e debochada com que o livro foi escrito é a melhor coisa e por vários momentos eu precisava parar de ler pra esperar a crise de risos passar e eu me concentrar mais uma vez na leitura. Os personagens são todos muito bem construídos e deem uma medalha para Raiza por ter idealizado Eva: Ela é engraçada, impulsiva, estressada, fala o que pensa e faz o que quer, independente da opinião alheia. Descrição boa, né? Certamente você conhece alguma Eva por aí. Já Gabriel é a antítese de Eva, mais centrado, a ordem em meio ao furacão. Esse contraste entre os dois se torna cada vez mais claro com o avanço da história e é muito bom ver a forma como eles vão se entrelaçando. Os outros personagens entram e saem da narrativa, mas você percebe que nada ou ninguém foi “jogado” nas páginas, é tudo sempre muito pertinente e condizente com o roteiro. A dose de humor no livro é na medida, sem exageros, firulas ou situações forçadas apenas para trazer o lado cômico para a história; muito pelo contrário: Todas as cenas acontecem com naturalidade e possuem um contexto na narrativa. Isso torna a experiência em ler esse livro ainda mais rica e divertida.

O grande segredo por trás de a história de Caçadora de Estrelas é, em minha opinião, demonstrar o crescimento pessoal da personagem. Fazendo uma análise da obra como um todo, iniciamos a trama com uma Eva egoísta a ponto de abandonar tudo e todos e fugir para a Londres atrás do amor e, com o passar da história, ela vai se modificando e despindo de todo o orgulho para conseguir salvar uma pessoa que ama. A mais importante lição aprendida por Eva é que nem sempre ela será a primeira opção na vida das pessoas e que, assim como ela, eles também precisam do suporte dela para enfrentarem as adversidades da vida. Não pensem que ela a partir de agora se anula para satisfazer os desejos e necessidades das pessoas a sua volta, totalmente alheia às suas próprias necessidade. Eva conseguiu encontrar o perfeito equilíbrio entre saber ouvir e fazer o que seu coração manda e essa, para mim, é a maior lição do livro.

Eu me ajoelhava, recolhia seus pedaços do chão, juntava tudo e colava, e a cada vez Eva deixava um pouco de ser Eva. A cada remontagem, uma parte dela era perdida no processo: aniquilada, esquecida, abandonada. Por mais que eu tentasse fazer um bom trabalho, ela nunca voltava a ser a mesma, e eu sempre me culpava por isso.

É um livro doce e que nos dá uma verdadeira aula a respeito de amor ao próximo e esperança. O que mais gostei no livro é que não importa quantas vezes o coração de Eva tenha sido quebrado, ela conseguiu colar os caquinhos todos juntos e seguir em frente para o próximo relacionamento até perceber que todas as experiências anteriores serviram para moldar a mulher que ela é hoje, forte, independente e destemida, mas acima de tudo, empática. Dessa forma, não é mais necessário que sua família a proteja do mundo por ser frágil e não ser capaz de aguentar os trancos e obstáculos; dessa vez, ela está em linha de batalha com eles. Caçadora de Estrelas é uma história envolvente e extremamente divertida e positiva, uma daquelas histórias que aquecem nossos corações, com um enredo sutil e delicado, porém, com uma poderosa mensagem de brinde. Foi uma excelente maneira de fechar 2018 e encerro oficialmente o ano com mais uma ótima leitura. O livro pode parecer mais um daqueles romances água com açúcar, mas acreditem, podem confiar que o livro cresce e se transforma em algo muito maior. Que baita surpresa!



Nota: 4,0/5,0





5 comentários:

  1. Oi Gabriel. Eu realmente adoro livros que sejam surpreendentes por trazerem histórias mais bem formuladas do que parecem a primeira vista. Apesar de sempre procurar livros assim, não conhecia a obra, mas fiquei apaixonada pela premissa dela. Beijos.

    ResponderExcluir
  2. Oie!

    Com certeza conheço uma Eva sim!!
    Eu não conhecia e adoro livros assim, com gostinho de sessão da tarde e que surpreendem. Esse crescimento pessoal da personagem eu acho fantástico.
    Sem dizer essa capa, eu achei linda!!

    Beijos,

    ResponderExcluir
  3. Assim como você, não sou fã de romances, mas adorei a análise que você fez dessa leitura, extremamente rica! E me pareceu ser um livro interessante até, por todo o crescimento da personagem e tal. Legal a gente se abrir para gêneros diferentes dos nossos habituais, né?

    Beijos,
    Isa
    taglibraryisa.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Oi Gabriel
    Adorei a premissa do livro, achei bem diferente. Gostei da forma que a autora conduziu a história, fazendo uma personagem egoísta seguir seu caminho, quebrar a cara e voltar para casa e vê que está tudo de cabeça para baixo. Gosto de romance e adoro que a trama tenha um toque divertido e de humor, portanto acredito que apreciaria essa leitura. Achei a capa linda demais!!!Ótima resenha!

    Bjokas!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá Gabriel, que resenha incrível!
    Apesar de já tê-lo visto, é a primeira vez que leio do que se trata o livro. Em outra situação, após saber da personalidade "forte" da Eva, era certo que eu fosse pra longe dessa história, já que personagens assim costumam me tirar do serio, hahaha. Mas o modo como você elogiou a escrita e o enredo me foram tão cativantes que senti até vontade de saber como essa história acaba e qual o destino de Eva.
    Parabéns pela resenha mais uma vez! 👏👏

    ResponderExcluir