Desejo e Escândalo | Resenha

15 de dez de 2018

Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :)

Estou correndo contra o tempo, por isso as postagens (pelo menos as minhas) estão saindo fora dos dias, não se assustem caso vejam publicações diárias. Isso está acontecendo porque eu atrasei algumas resenhas de parcerias, mas fiquem tranquilos, no final todo mundo sai ganhando.

Sai ganhando como hoje, que é um dia de falar sobre um Romance de Época, dessa vez da Lorraine Heath, que aparece pela primeira vez no blog graças ao exemplar cedido pela Editora Harlequin. O livro, que vai falar sobre um filho bastardo e uma futura duquesa, ganhou espaço na estante e no meu coração.

Desejo e Escândalo - Lorraine Heath 

Sinopse: Mick Trewlove é o filho bastardo do duque de Hedley, mas ninguém sabe disso. Mesmo depois de se tornar um empresário de sucesso, ele ainda busca vingança contra o homem que o abandonou. E qual a melhor forma de fazer isso do que seduzir a noiva do filho legítimo do duque? Lady Aslyn está noiva do conde Kipwick, filho único do duque de Hedley, mas se vê, inesperadamente, apaixonada pelo misterioso bilionário Mick Trewlove. Durante os passeios pelos parques de Londres, ela começa a desconfiar de que algo se esconde por trás do sorriso sedutor, mas não tem certeza. Quando os segredos são revelados, uma reviravolta inesperada surpreende Mick, que terá que escolher entre manter seu plano de vingança ou ser feliz.



Páginas: 304 | Autor(a): Lorraine Heath | Editora: Editora Harlequn | Gênero: Romance de Época

Mick Trewlove foi abandonado na casa da viúva Trewlove assim que nasceu, ele era um bastardo do duque de Hedley, então merecia nada mais que o fim. Suportando por 31 anos humilhação e tendo que ajudar sua mãe a sustentar os irmãos, Mick cresce como um menino raivoso e louco por vingança. Apesar da alma boa e da sua vontade de ajudar todos os órfãos que estão na mesma situação que um dia ele esteve, sua convicção é de destruir seu pai, o duque. Assim, depois de enriquecer, Mick decide se aproveitar do vício em jogos do filho de Hedley, o conde de Kipwick, para o levar a ruínas. Ele só não esperava que lady Aslyn pudesse cruzar seu caminho como tutelada do duque e noiva do conde. Não esperava mais ainda se apaixonar por ela, destruindo completamente seus planos.

Mick é a salvação desse livro para quem o lê. Foi um caso de amor e ódio a minha leitura, por isso acho que conseguiu aumentar a nota que inicialmente eu daria. Não sei se estava cansada de Romances de Época ou das mesmices que a gente encontra nesses livros (o gênero precisa se reinventar urgentemente), porém, passei boa parte da obra já sabendo o que aconteceria nas próximas páginas, era claro que os protagonistas iriam se apaixonar e em algum momento a mentira de Mick iria separá-los. Esse foi meu caso de ódio.

Agora meu caso de amor foi o que me fez sentar e escrever essa resenha de coração aberto. O final do livro é surpreendente. Mick quer deixar de ser visto como um bastardo e quer seu devido reconhecimento, porém, as coisas não serão dessa maneira e a história pode tomar um caminho completamente diferente.

É meu primeiro contato com a autora e Lorraine me conquistou aos poucos apesar de algumas repetições desnecessárias em sua escrita. O final é fato de sua genialidade como escritora e, foi graças a ele, que eu passei a indicar o livro e a própria Lorraine. Pretendo ler mais histórias escritas por ela.

"Não podia negar que aquele homem a intrigava, e que ela gostaria de saber mais sobre ele. Talvez por ser alguém proibido e por ela nunca antes ter sido tão ousada a ponto de arriscar ir atrás do que não poderia ter — nem mesmo um biscoito da lata quando a cozinheira não estava olhando."

Falar sobre as personagens é uma tarefa muito difícil para mim, mas muito necessárias também, principalmente se formos destacar Aslyn, a mocinha da história.

Lady Aslyn tem o maior foco na obra em relação ao ponto de vista, mesmo que seja narrado em terceira pessoa, por isso nós ficamos mais próximos de seus sentimentos e de suas angustias. Apesar de ser a típica mocinha indecisa e que pode irritar qualquer leitor, ela é a presença da mulher no século XXI em um romance que se passa 1871. Por ter sido criada no meio da elite e essa elite sempre se preocupou com os comentários da sociedade, Aslyn cresceu privada de muitos momentos que gostaria de vivenciar. Ela tem curiosidade de sair a noite, sozinha, de beber cerveja, de se divertir, de simplesmente conversar com um homem, entender seus desejos como mulher e poder falar francamente com as pessoas, seja sobre política ou questões sexuais.

Eu, sinceramente, achei sensacional a montagem da protagonista. Implicitamente o feminismo está presente no livro no questionamento do papel da mulher da sociedade e nos seus desejos. Fico mais feliz ainda pela autora ter apresentado um protagonista que apoia Aslyn nas decisões dela e que a ajuda a ser livre. É Mick que leva Aslyn pra beber uma cerveja na madrugada londrina e, em nenhum momento, ele a força a isso, é apenas uma vontade da personagem e ele ajuda a realizar, a apoiando sempre.

Escrevendo sobre o bastardo...
Mick é um personagem muito legal, porque ele é real. Seu passado é revelado aos poucos e é com ele que a gente entende todas as decisões do presente e os motivos da vingança estar tanto no seu coração. É com o tempo que ele entende que a vingança não vai mudar em nada a sua situação, e ele precisará lidar com seus problemas de outra maneira.

A autora também traz um debate sobre o preconceito que as pessoas possuem em relação ao berço, mesmo que ela consiga crescer economicamente. Se tratando dos dias atuais, nós podemos ver várias questões sociais presente nessa obra, o que é incrível, pois nos traz uma reflexão necessárias para nossos tempos sombrios.

Além das principais nós temos as personagens secundárias que são incríveis, principalmente a família Trewlove que, inclusive, serão protagonistas dos próximos livros da série. Eu estou louca para ter em minhas mãos a sequência, pois lerei sobre Gillie, uma das irmãs de Mick, que é completamente fora do padrão imposto pela sociedade tendo até mesmo uma taverna.

Foto: Cecília Justen

Como eu disse anteriormente, meu maior problema com a história foi a enrolação para o andamento de alguns momentos importantes. Um livro que eu leria em um dia se prolongou para uma semana, pois não conseguia adentrar de verdade na obra. Gosto do casal, gosto das descobertas de cada personagem e gosto das revelações, mas tudo demorou muito para acontecer e com muita repetição e lentidão nos fatos, o que, infelizmente, me afastou da história.

No entanto, é impossível dizer que Mick e Aslyn não conquistam o leitor, assim como não posso falar que a autora não me encantou com sua escrita e seus toques especiais de século XXI, o que falta em boa parte dos livros do gênero. Por isso e pelos outros motivos que falei durante a resenha, essa é uma das minhas indicações de final de ano para vocês, então aproveitem para presentear alguém especial no Natal com um livro, o lado literário muda o mundo.

"Beijá-la foi a melhor decisão que ele já tinha tomado na vida. Beijá-la foi a pior decisão que ele já tinha tomado na vida."

Nota: 4/5 ♥ 
*Livro cedido em parceria com a Editora* 

Compre Desejo e Escândalo | Amazon | Saraiva

Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

8 comentários:

  1. Que isso?! Adorei a sinceridade e confesso que quero ler só pra saber se vc foi malvada nessa resenha hehehe
    Acho que as vezes nos cansamos mesmo da mesmice de alguns enredos, eu mesmo dei um tempo em new adult pq estava achando muito repetitivo ... E aí vc me ganhou quando falou que se surpreendeu!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi, juro que eu tento não ser malvada haha
      New Adult também já me cansou, só continuo por causa de algumas parcerias...

      Excluir
  2. Oi, tudo bem ?

    Confesso que dei uma mega pausa nas leituras viu, mas este livro me interessou muito e gostei bastante da sua resenha, pois me passou sinceridade na avaliação e me deixou curiosa, pois preciso conhecer mais romances de época e esses quotes me encantaram .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei!

      Fico feliz que esse livro e a resenha te empolgaram à leitura e a voltar a ler :)

      Excluir
  3. Olá! Ah, eu não curto muito romances de época, mas a história desse parece ser emocionante pelo lance do cara ser bastardo e tudo mais. Uma pena que a leitura dele foi tão arrastada e repetitiva, mas adorei a resenha sincera!

    Beijos,
    Isa
    taglibraryisa.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Isa!

      É um pouco diferente do que lemos no gênero, mas realmente, a obra cai quando ela se torna repetitiva.

      Obs.: O final é surpreendente, o que é ótimo :)

      Beijos!

      Excluir
  4. Olá, final de ano é sempre uma correria né, também estou assim.
    Esse ano li poucos romances de época, ano que vem pretendo mudar essa situação, por isso já vou anotar sua dica para meus livros de época a serem lidos em 2019.
    Gostei desse enredo, onde tem vingança no meio, sempre há o perdão.
    Bjus e boa quinta.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei! Que bom que não estou sozinha. haha

      Acho que o que eu mais li em 2018 foi romance de época, vou fazer o contrário de você em 2019 :)
      Fico feliz em saber que você gostou da história.

      Beijos!

      Excluir