Tarde Demais | Resenha

22 de set de 2018
Foto: Leitora Cretina

Ei, pessoal! Tudo bem com vocês? Espero que sim. 

A resenha de hoje não foi fácil para ser desenvolvida e vocês não fazem ideia do quanto eu enrolei pra escrevê-la, pois não haviam palavras para descrever a experiência que foi a leitura de Tarde Demais, da nossa já conhecida Colleen Hoover.

Nota: O livro possui uma classificação etária para 18 anos, por conter cenas de estupro, violência e uso de drogas.

Tarde Demais - Colleen Hoover
Título Original: Too Late
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Ano de Publicação: 2016
Gênero: Drama
Número de Páginas: 380
ISBN: 9788501115003
Sinopse: Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida. Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida. A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável. Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde Demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.



Antes de mergulharmos a fundo na história do livro, precisamos entender o background por trás de Tarde Demais. No início do livro, há uma nota da autora explicando que ela nunca pretendia lançar a história, pois a mesma fazia parte de um projeto independente em conjunto com os fãs em uma página da internet enquanto a autora sofria de bloqueios criativos. O enredo foi sendo desenvolvido com os fãs e a história foi tomando forma, sofrendo alterações de acordo com as ideias que os fãs iam tendo no decorrer dos capítulos. Já com o livro finalizado, a história foi publicada exatamente como a versão presente no site e por isso ele possui uma escrita tão diferente do que estamos habituados com as obras de Hoover.

Segundo a própria escritora:

"Nunca tive a intenção de publicá-lo porque ele não se parece em nada com os outros livros que escrevo. É mórbido, é perverso e era a válvula de escape divertida quando eu ficava empacada em outro livro ou na reviravolta de outra história."

Conheci o trabalho de Hoover através de indicações literárias e o primeiro livro da autora que tive contato foi É Assim Que Acaba (cuja resenha você pode clicar aqui para ler). O livro, apesar de muito bom, me tocou muito profundamente por abordar um tema tão difícil de ser discutido como a violência doméstica. No entanto, Colleen é conhecida exatamente por ser o tipo de autora que ferra com seu psicológico e a cada novo capítulo te dá um soco no estômago; Em É Tarde Demais não é diferente, colocando em foco o relacionamento abusivo entre Asa e Sloan.

Como a própria nota no início do livro sugere, a narrativa de fato não se parece em nada com a escrita refinada de Hoover. Obviamente, apenas li dois livros da autora, mas posso usá-los para comprarar; Enquanto em É Assim que Acaba eu pude perceber um zelo muito grande por parte da autora na construção dos diálogos e desenvolvimento da história, em Tarde Demais os papéis se invertem, trazendo uma narrativa poluída e pesada, repleta de palavrões e palavras de baixo nível enquanto somos apresentados a Sloan, que para proteger e garantir os cuidados especiais que seu irmão deficiente necessita, se sujeita aos mais diversos tipos de abuso cometido por seu namorado Asa, um dos traficantes mais conhecidos da universidade em que estudam. Essa mudança na estrutura do texto me causou grande impacto e em diversas cenas do livro me sentia extremamente mal e pensava em abandonar a leitura de tão explícitas e dolorosamente verdadeiras. 

O ponto de destaque dos livros da autora são as discussões levantadas em suas obras onde Colleen não tem tato em colocar o dedo na ferida e apontar os diversos problemas que afligem nossa sociedade tais como o machismo, a violência doméstica, a cultura do estupro, dentro outros. Suas personagens representam milhares de mulheres mundo a fora, que vivem essas realidades diariamente e se sentem abandonadas por tudo e todos. Mais uma vez, o enredo desperta a empatia no leitor, nos levando a nos colocar no lugar de Sloan e procurar a entender toda a situação antes de sairmos apontando dedos e atirando pedras. Muitas vezes ouvimos (e repetimos) frases como "Ela poderia sair disso a hora que quisesse", porém no livro podemos ver em detalhes como funciona um relacionamento abusivo e a construção de uma teia em que a vítima se enrola cada vez mais a ponto de achar que a única saída é se manter nessa situação tóxica e doentia. 

Uma coisa que me incomodou no primeiro livro e novamente não gostei em Tarde Demais é a construção de uma paixão platônica e avassaladora para açucarar o livro. Nesse caso, para completar o triângulo amoroso adicionamos o policial disfarçado Carter, que se passa por um dos capangas de Asa para investigar o traficante e recolher provas. Ele e Sloan se apaixonam quase que automaticamente e passam páginas e páginas dando vida aos mais diversos clichês de livros de romance. Falando dos personagens em si, também deixaram a desejar. Sloan é extremamente chata e sem graça. Por mais que me senti compadecido pela realidade vivida pela jovem, Sloan tem zero de carisma e não sentia o menor interesse em ler sobre ela. O mesmo digo para Carter, porém, Asa é, de longe, a melhor coisa desse livro, um personagem muito bem construído baseado no modelo da sociedade machista em que estamos inseridos. Asa é denso e desequilibrado, mas ao mesmo tempo, é muito humanizado, apesar de todas as atrocidades cometidas por ele. Senti tanta raiva dele que minha vontade era tacar o livro na parede para fazê-lo sofrer. 

A nota inicial também informa que mesmo após o término da história, Colleen continuou redigindo capítulos e mais capítulos que deram vida a diversos epílogos que estão presentes no livro: O final da história se dá mais ou menos no meio do livro e as páginas seguintes são usadas para contar o desfecho dos eventos. Algumas coisas não fizeram muito sentido e/ou apresentaram furos de sincronia e coerência, mas isso tudo fica de lado com relação a importância dessa história e os debates que serão gerados através dela. Tarde Demais é, sobretudo, uma história de empatia e sobre se saber colocar no lugar do outro, mas também sobre lutar e não desistir de sua individualidade e independência ao entrar em um relacionamento.

Tarde demais é um livro perverso e literal, trazendo o pior da sociedade em um único livro. Com certeza Colleen fez um grande trabalho de extrema coragem, apontando diretamente para os nossos olhos coisas que muitas vezes fingimos não ver ou simplesmente saímos culpando a pessoa errada. Foi avaliado por mim no Skoob com 4 estrelas e se tornou um outro grande livro da autora que marcou muito a minha vida, entrando para a lista das leituras essenciais para a formação de caráter.

Nota: 4/5

Compre Tarde Demais | Submarino | Amazon

5 comentários:

  1. Uau, não sabia desse contexto da criação do livro e nem dos epílogos. É uma forma curiosa de desenvolver a obra, mas acredito que pra quem é fã deu certo!
    Só talvez não seja uma boa opção para primeira leitura da autora ne.

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Essa foi uma leitura bastante forte para mim, mas confesso que alguns pontos me incomodou um pouco.
    Esse epílogo enorme foi um deles e considerei um pouco desnecessário.
    Realmente foi uma obra que dividiu opiniões e foi o primeiro livro que li da autora. Deveria ter começado por algo mais leve, rs.
    Ótima resenha e que bom que para você foi melhor!

    bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi Gabriel. Gostei bastante da sua resenha porque eu não conhecia realmente o contexto do livro e agora, sabendo dele, fico com bastante vontade de ler. Os temas abordados são de grande importância para a sociedade e devem sim ser debatidos. Amei a resenha.
    Beijos.

    Blog: Fantástica Ficção

    ResponderExcluir
  4. Olá Gabriel,
    Nossa!!! Não sabia sobre a história desse livro e achei muito bacana toda a ideia de construção e desenvolvimento da história. Tenho interesse de ler algum livro da autora, porém sabendo disso acredito que leria primeiro outros livros dela para enfim conhecer esse. Adorei a resenha!!!

    Bjokas da Elo!
    http://cronicasdeeloise.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oi Gabriel,
    Já ouvi e vi muita gente falar suuuper bem dos livros da Collen e até hoje não parei para ler nenhum. E até tenho vários no meu Kindle. Vi um resenha de um blog desse livro (não me lembro qual blog) mas a pessoa gostou bastante da história. Tenho vontade de ler esta história com uma paixão avassaladora como você mesmo disse.
    Espero gostar.
    Bjss

    ResponderExcluir