After | Resenha

24 de set de 2018


Ei! Tudo bem?
Vocês já leram um romance enlouquecedor? Eu li e, por isso, a resenha de hoje é After

Conheci a história há um tempo, mas não quis pegar para ler o livro, já que eu sabia todos os spoilers possíveis para a obra e isso estraga tudo (tudo!). Entretanto, nas férias (sim, nove meses atrás) decidi conhecer melhor essa história mesmo sabendo o final, e me surpreendi. 

After foi escrito por Anna Todd, uma autora super conhecida por causa da plataforma Wattpad, em que publicou fanfics (histórias feitas por fãs com os ídolos como personagens) com os integrantes da boyband One Direction. Que fanfic era essa? After. E o sucesso foi tanto que Anna publicou em livro essa história que teve mais de um bilhão de acessos.

After - Anna Todd

Sinopse: Tessa é uma garota de 18 anos que acaba de deixar a casa de sua mãe para ir morar no campus da faculdade. Estudiosa, responsável e recatada, ela não quer saber de festas e nem de paixões. No primeiro dia na faculdade, Tessa conhece Hardin, um jovem rude, lindo e todo tatuado que implica com seu jeito de garota certinha. Os dois se detestam, mas ao mesmo tempo não conseguem ficar longe um do outro. Logo, começam um relacionamento intenso e turbulento. Consumida por uma paixão que ela imaginava não ser possível, Tessa vê sua sexualidade aflorar. Mas por trás do charme irresistível de badboy, Hardin carrega fantasmas de seu passado, que podem colocar tudo a perder. Depois de Hardin, Tessa nunca mais será a mesma.


Páginas: 524 | Autor(a): Anna Todd | Editora: Editora Paralela | Gênero: New Adult 
Série: After #1

Tessa é o clichê em forma de menina de 18 anos. Certinha, estudiosa, preocupada, tem uma mãe extremamente difícil que faz pressão, um namorado todo maravilhoso que transmite paz, mas que ela provavelmente não ama, enfim... Como escrevi, ela é o clichê do New Adult. E esse Ser está prestes a começar uma nova vida na faculdade, onde ela ficará longe da família e iniciará uma nova jornada sozinha em um quarto duplo no campus. Esse quarto a faz conhecer Steph que é um tanto quanto... Excêntrica? Sim, e bem (bem!) diferente de Theresa. Steph é festeira, desorganizada, tem tatuagens, anda com roupas coladas no corpo e é tudo o que a mãe de Tessa considera como problema. Mas Theresa quer uma nova vida e Steph parece realmente legal, então por qual motivo ela iria querer trocar de quarto? Ela não sabia, mas seria Hardin. Um dos amigos de Steph é a maior tempestade da vida de Tessa, o menino é agressivo, é revoltado, antipático, todo badboy, mulherengo, misterioso, problemático, um perfeito anti-herói que conquistou o coração de Tessa. 

Os dois vão entrar em um relacionamento maluco de puro ódio e amor. Vão descobrir o pior e o melhor lado que eles podem ter e vão tentar entender o motivo de tanta atração. A história entre os dois vai muito além de um simples romance ou um simples livro com erotismo, essa é uma obra com descobertas na recém-fase adulta e que nos mostra como um New Adult pode ser devastador. 

"Não tenho ideia do que fazer, mas preciso sair de perto de Hardin antes que eu dê um tapa na cara dele. Ou caia no choro."

Minha opinião sobre esse livro se resume em uma frase: "Eu não sei o que falar, apenas sentir." Senhor, que livro problemático! Imaginem um clichê irritante, que transmite raiva, nojo, que você vai xingar do início ao fim, mas você vai conseguir se prender o tempo todo. After é esse tipo de livro, que por algum motivo me surpreendeu mesmo eu sabendo sobre tudo. 

A questão da história é bem simples, não existe uma fórmula mirabolante. Anna escreveu uma fanfic que fez sucesso, essa fanfic virou livro, então imaginem uma fanfic realmente, aquela mesma fluidez de capítulos pequenos, narração em primeira pessoa, muitas reviravoltas e personagens com conflitos internos que serão revelados aos poucos durante a trama. Isso tudo fez com que o livro se tornasse, não perfeito (muito longe disso), bom e extremamente excitante. 

After entrega tudo que promete, mas isso não é muito agradável. Assim como a relação dos principais, possui uma relação de ódio e amor pela obra, isso porque ela é enlouquecedora. É a mesma coisa nas mais de 500 páginas do livro: Conflito, ódio, atração, momento fofo, problema, grosseria, ódio, amor, mentiras, perdão, discussão, amor, conflito, enfim... O tempo todo o livro vai e volta, é como se ele não tivesse um fim, você está sempre ligado ao ciclo vicioso que só acontece por causa da Tessa.

Falando em Tessa...

"Uma vez você me disse que eu desperto o que existe de pior em você. Bom, você desperta o que existe de melhor em mim."

Amo personagens fortes e com personalidades incríveis, muitas vezes passo boa parte das minhas resenhas entregando meu amor por esses que fazem a obra crescer ainda mais. Esse não é o caso de Theresa. Não me entendam mal, não é que eu não tenha gostado dela, ao contrário, eu me senti meio estranha por ser meio Tessa, mas o meu problema foi o quão submissa ela foi com Hardin. Não estamos falando sobre 50 Tons de Cinza (e vamos lá, Ana concordou com tudo), e essa é a questão! Tessa tem toda aquela personalidade de menina "pequena", mas ela ao mesmo tempo é "grande", e por isso ela nos engana e se engana tão bem. Todo segundo que ela está com Hardin e algum problema acontece, ela fala que vai mudar as coisas, que ela precisa mostrar que é muito melhor do que aquilo, mas ela não faz nada! Ela volta com ele e tudo volta ao normal. Isso é bem frustante e eu imagino o quão teria sido diferente a história dos dois se ela tivesse mostrado cedo para ele que ela não é a menina fraca que ele imaginou. 

Todavia, Tessa tem sim um lado que faz você querer lutar por ela e abraça-la o tempo todo. Ela é muito boa (isso conta, né?!) e eu gosto muito de como ela tenta ver o melhor e o pior das pessoas. Ela também tenta uma amizade com pessoas que não são parecidas com ela, mas é muito legal porque você vê que ela quer mudar, que ela está tentando sair do "casulo". Ah! Tessa é extremamente literária, o que faz qualquer leitor amar as referências do livro, assim como Hardin. 

O que me faz lembrar que eu preciso escrever sobre esse personagem avassalador. Hardin também conhecido como Harry, para quem leu a fanfic, é "inspirado" em Harry Styles, porém, com algumas diferenças físicas e psicológicas (espero eu). Ele é todo tatuado, cheio de piercing, só usa roupa escura e tem uma pose de badboy. É apaixonado em literatura, o que não combina muito com sua aparência, mas é o que mais me atraiu nele, então está tudo bem. Ele é o nosso mocinho que está bem longe de ser um, mas que me lembra muito Christian Grey, por isso deve ter conquistado tantos corações. Ambos têm problemas com o passado, presente e futuro, possuem cicatrizes, são impulsivos (o que machuca muito as mocinhas de seus livros), e ambos possuem problemas em se comunicar, de se abrir com outra pessoa. Assim como Ana, Tessa está lá para "ajudar", para "salvar" o personagem de um lado obscuro e muito triste. Mas diferentemente de 50 Tons, eu me senti muito mais apegada aos personagens e em seus conflitos. 

"Bom, Hardin detesta todo mundo, mas achei que com você fosse ainda pior"

Acredito que poderia ficar falando sobre muitos pontos negativos da história, pois possui sim, mas eu ainda preciso constar mais uma vez o quanto essa história nos prende e isso é revoltante! Eu senti raiva de mim mesma por não conseguir parar de ler uma história tão previsível, com personagens maldosos, com uma mocinha inocente demais, e estou com mais raiva ainda por estar escrevendo essa resenha pensando em qual momento eu vou conseguir ler o segundo livro da série, afinal, eu preciso saber mais sobre o final da história. 

Como eu disse, sabia todos os spoilers possíveis, então sabia que iria querer tacar meu Kindle (li por Ebook) longe, já que aquele final é chocante, repugnante e que faz o Ser mais calmo do mundo sentir raiva. Mas ao mesmo tempo, por saber, eu entendi um lado muito mais "bonzinho" de Hardin, então eu aconselho todos (todos!) a lerem uma segunda vez, pois a experiência é completamente diferente. O final vai continuar te irritando, vai fazer você querer mudar tudo, mas vai te dar vontade de ler a sequência, e essa era a intenção de Anna. 

E é assim mesmo que After foi feito, com uma mistura de sensações que vão te fazer estourar no meio da leitura. É completamente cativante, foi feito para enlouquecer, mas para amar também, pois mesmo com todos os problemas nessa relação doida, você percebe o amor e, muito mais que isso, After nos traz ensinamentos, nos mostra a vida, mostra que ela nem sempre é feliz, mostra que a gente precisa crescer, precisa quebrar a cara várias vezes, mas nos mostra que existe sempre uma parte muito boa, mesmo que o final da história seja bem (bem!) triste. 

"Você prometeu que ia acabar comigo. Parabéns, Hardin, você conseguiu."

Nota: 3/5 ♥ 

Compre After | Amazon | Saraiva


Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩


0 Comentários:

Postar um comentário