Safe | Uma série de Harlan Coben

20 de ago de 2018

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :) 

Hoje, decidi trazer para vocês mais uma postagem que não é literária. O escolhido da vez foi Safe, uma série de Harlan Coben (autor super conhecido no mundo de suspense), original da Netflix e que foi lançada em maio. Além de ser agradável por trazer dúvidas ao telespectador, a série ganha pontos por trazer Michael C. Hall, que andava sumido desde o fim de Dexter em 2013. 

Michael é Tom Delaney e precisa lidar com o sumiço da filha mais velha, mas quanto mais o personagem ganha revelações, mais longe da verdade ele parece estar.


Tom é pai solteiro de duas meninas. Sua mulher morrera de câncer há um tempo, mas a dor da perda ainda está presente em sua casa, principalmente em sua filha mais velha, Jenny. Sua família (e outras que serão importantes na história) vive em um condomínio fechado, onde todos acreditam ser seguro (safe). Anos antes, um colégio pegara fogo e 5 crianças morreram, então alguns lugares foram marcados para cercar a área envolta e deixar as famílias dali mais seguras, já que o incêndio foi - supostamente - proposital. 

Entretanto, mesmo com o grande muro, as coisas não estão mais bem, não depois de Jenny desaparecer em uma festa dentro do condomínio, seu namorado aparecer morto, uma mulher ser acusada de pedofilia e outro incêndio ocorrer. 

Em Safe, as pequenas histórias vão se entrelaçando e você vai descobrir que elas possuem muito mais ligações do que você poderia imaginar. É nesse aspecto que a série consegue prender quem está assistindo, pois é impossível saber a resolução de todos os acontecimentos e compreender as ligações, pelo menos inicialmente. 

Os mistérios serão investigados pela policial Sophie Mason e sua ajudante, mas é claro que Tom não ficará sentado esperando resultados, então ele decide sair por aí com a ajuda de seu amigo Pete Mayfield para investigar melhor e entender o sumiço de sua filha. 

É com a procura de Tom que nós conseguimos entender a história, já que ele é um detetive melhor do que os policiais envolvidos no caso. O que é muito legal, já que Tom é um personagem empolgante e Pete é o melhor amigo ideal. 

As descobertas que ele vai fazendo vão te levando a loucura, já que nem todas as pessoas parecem tão inocentes assim, pelo menos em suas próprias vidas. Todos eles queriam ficar seguros do "lado de fora", mas eles não eram seguros consigo mesmos. Cada personagem possui seu segredo e traumas do passado que irão colidir com os recém-acontecimentos. Se Jenny não tivesse sumido, muitas coisas continuariam no passado, e isso seria um problema. 

Falando em Jenny, essa é a personagem mais revoltante de toda a história. Não quero colocar spoilers aqui, porém, acho importante dizer que queria matar a Jenny em todos os momentos, pois apesar de seu sumiço ser necessário, em muitos momentos ela parece ser a culpada de todos os problemas de outras pessoas. 

As atuações ajudam bastante, pois os personagens não possuem uma construção tão boa, sendo bem vagos em alguns momentos, o que é o caso da Jenny. Entretanto, todos eles possuem algum segredo ou um problema interno que precisam resolver, o que consegue contornar a montagem previsível de cada um.

Esse é meu primeiro contato com alguma coisa do Harlan Coben, e é bem triste saber que não foi com um livro, mas vou ler alguma obra em breve. A questão é: Eu esperei bastante para assistir a série, porque se o mestre do suspense estava com a Netflix, isso só seria sinônimo de uma obra espetacular. E foi, não posso negar nisso. Quanto mais eu assistia, mais empolgada eu ficava, porque apesar dos personagens aceitáveis, a série consegue ter falas geniais, mostrar o necessário na hora certa, consegue trazer diversos questionamentos e enlouquece a cabeça de quem está assistindo, é muito difícil você assistir um episódio e não querer ver o próximo imediatamente.

Além desses pontos, a série conta com uma trilha sonora incrível, apenas com músicas de Barns Courtney. Inclusive, estou ouvindo a playlist da série, porque fiquei tanto tempo enrolando para escrever essa postagem que precisei entrar no clima novamente. Isso mostra que Fire e Glitter & Gold são as músicas certas para estarem na série.

Então não tem motivos para haver comentários negativos, certo?! Errado! 
A série, de oito episódios, consegue entregar tudo que promete (e muito mais), mas quando chegamos ao último episódio, o que seria a revelação de todos os - milhares - de mistérios, ganhamos um final completamente decepcionante. As motivações dos personagens são vagas e sem graças, as coisas que acontecem não fazem completo sentido e muitas pontas ficam soltas, e o pior!, não há indício de que existiria uma segunda temporada, então as pontas soltas foram realmente erros da direção. O desfecho, mesmo que se encaixe com a história, é realmente inesperado para quem está assistindo, pois esperamos muito mais do que temos. 

Harlan Coben conseguiu fazer uma série que vai te levar ao delírio, que vai te trazer diversos sentimentos e seu coração pode sair da boca, mas (infelizmente), parece que ele desiste da série no último episódio. Isso, ao contrário do que vocês possam pensar, não pode ser uma desculpa para não assistir e conhecer um pouco a história, pois temos sete episódios sensacionais que vão te convencer a rever todos os episódios até cansar de toda a trama. 

Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩

0 Comentários:

Postar um comentário