As Filhas da Noiva | Resenha

13 de ago de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :)

Terminei, recentemente, mais um livro em parceria com a Editora Harlequin. Dessa vez foi uma obra da Susan Mallery, meu primeiro contato com a escritora. Gostei bastante da história e estou muito animada para compartilhar com vocês mais um chick-lit, e esse promete ser bem diferente dos convencionais.

As Filhas da Noiva - Susan Mallery

Sinopse: Courtney Watson é a irmã desajustada da família. Ela pode não ter uma vida tão organizada quanto a das irmãs, mas ela é excelente em uma coisa: guardar segredos. Inclusive sobre seu caso flamejante com um produtor musical. Planejar o casamento da própria mãe traz sua vida secreta à tona, mudando completamente a imagem que sua família tinha de Courtney para sempre. Quando o namorado de Siena, a irmã rebelde, a pede em casamento bem na frente de sua mãe e suas irmãs, é uma completa surpresa para ela. Siena já passou por dois noivados fracassados e desfeitos. Como ela pode aceitar se ela nem tem certeza que é isso que ela ainda quer? Rachel é a cínica da família. Ela acreditava que o amor duraria para sempre... até o seu divórcio. Enquanto o dia do casamento de sua mãe se aproxima, seu ex passa a implorar por uma segunda chance, e ela é forçada a reconhecer algumas verdades incômodas sobre os motivos pelos quais seu casamento não deu certo. Rachel precisa decidir se ela vai deixar o orgulho ficar no caminho do seu felizes para sempre.


Páginas: 352 | Autor(a): Susan Mallery | Editora: Editora Harlequin | Gênero: Romance (Chick-lit)

Existe um cenário melhor que um casamento para um romance leve? Provavelmente não. E é nesse cenário que Susan Mallery conta a história das três filhas da noiva. Cada uma com sua personalidade e seus segredos, e faltando dias para o casamento da mãe, as três irmãs precisaram enfrentar todos os seus medos e se juntar de vez para que ocorra tudo como o planejado.

Falando em planejamento, quem está organizando o casamento é Courtney Watson, a irmã mais nova. Courtney é a irmã desajustada da família. Ela sempre foi a mais excluída por ser muito alta, e como não soube lidar com isso, ela acabou ficando muito atrapalhada, ganhando a frase "dar uma de Courtney" toda vez que algo desse errado. Além disso, aos 10 anos descobriu que seu atraso e notas baixas na escola não se davam por falta de vontade, mas sim por um nível de dislexia, que a atrapalhava em alguns momentos. Courtney precisou viver com seus problemas sozinha, porque sua mãe estava correndo atrás do prejuízo que seu pai deixou antes de morrer. Acabou repetindo um ano e só saiu da escola quando atingiu a maioridade. Largou tudo, saiu de casa, e foi trabalhar em uma lanchonete depois de brigar com a mãe. Agora, tempos depois, ela está prestes a se formar na faculdade de hotelaria e é mais do que a camareira no hotel em que a cerimônia de casamento ocorrerá, entretanto, sua mãe não faz ideia disso. Para Maggie, a mãe, Courtney é apenas uma menina que não pensa grande e prefere viver sua vida como camareira. Enquanto ela pensa nisso, Courtney conhece Quinn, um grande empresário, que promete abalar seu coração e ainda questionar seus segredos. Porém, ela quer manter tudo em segredo para depois jogar na cara das pessoas seu diploma, principalmente se essa pessoa for a irmã do meio, Sienna.

Sienna é a irmã mais bonita da família, a metida, a que teve tudo o que sempre quis e a que menos sofreu com a perda do pai, já que foi acolhida pelo hotel da cidade (mesmo hotel da cerimônia de casamento) vivendo uma vida de princesa. Entretanto, quem olha Sienna por fora não faz ideia de como ela está por dentro. Ela está vivendo o terceiro noivado e não se vê apaixonada pelo seu noivo, o que é um grande problema. Além disso, Sienna trabalha ajudando mulheres a se livrar da violência doméstica, mas seu noivo não consegue entender a importância de seu trabalho, e isso faz com que Sienna se sinta cada vez pior. Todavia, em sua cabeça, ela precisa continuar mantendo a sua pose, principalmente para as irmãs, que a vê como perfeita, principalmente Rachel, a irmã mais velha.

Rachel está vendo seu mundo cair. Ela é mãe e solteira. Há dois anos se separou por causa de uma traição, mas o problema era muito maior do que esse. Ela fora mãe muito nova e Greg não conseguia lidar com a responsabilidade tão novo, por isso, o casamento entrou em crise. Mas mesmo depois da separação e do filho já ter 11 anos, Rachel percebe que ainda está apaixonada por Greg. Porém, as coisas são muito mais complicadas, pois a irmã mais velha percebe que ela não pode simplesmente perdoar Greg, ela precisa se entender, se concertar e achar seu amor-próprio.

Faltando dias para o casamento, Courtney vai entrar uma jornada de amor com Quinn enquanto tenta esconder sua "vida secreta"; Sienna vai perceber que sua vida não precisa ser tão perfeita assim; E Rachel vai a procura de seu amor-próprio para finalmente perdoar Greg.

"Todos nos temos segredos. Eles fazem com que nos sintamos seguros. E nos ajudam a passar pelas coisas."

Amo compartilhar chick-lit com vocês, pois são com esses romances que conseguimos ambientar uma história de poder feminino. Apesar de As Filhas da Noiva parecer um filme da Sessão da Tarde, a obra consegue te prender do início ao fim, o que é incrível, já que temos uma narração em terceira pessoa que intercala as histórias das três irmãs, e isso poderia dar muito errado.

Mas dá tudo certo, tudo nessa obra é voltado para momentos reais, em que precisamos no conhecer e lidar com coisas do passado para vivermos o presente. Cada irmã tem uma personalidade, mas elas são todas verdadeiras e poderiam ser sua irmã ou você mesma. Nesse aspecto a autora arrasa e faz com que o leitor passe a ficar cada vez mais cativado pela história.

"A verdade, apesar de ser dita com carinho, ainda doía para caramba."

É claro que eu não poderia deixar passar as minhas considerações sobre cada uma das irmãs, que são tão diferentes, mas juntas acabam sendo tão iguais.

Vou começar com a Courtney, minha irmã favorita. Não sei se é porque eu também sou a irmã mais nova, mas eu sei que ela merecia um livro inteiro, e eu percebi isso não só por causa do grande romance que poderia ser construído, mas também pela quantidade de partes destinadas a ela.

Courtney me surpreendeu mesmo não sendo uma personagem forte, ela é bem reprimida, na verdade. Mas isso tudo se deve ao seu passado. Ela sempre foi muito sozinha, e basicamente foi criada por Rachel, que se viu no papel de segunda mãe para as irmãs. A ligação entre as duas é muito forte e isso faz com que o relacionamento seja lindo de se ler. Mas mesmo assim, a irmã mais nova não consegue lidar com sua altura e o jeito que a mãe a trata, que pode muitas vezes dar raiva ao leitor. Você acaba torcendo para Courtney porque ela é a personagem que mais precisa de apoio das pessoas em sua volta para finalmente ficar forte.

Quem a apoia é Quinn, o empresário maravilhoso. Apesar da diferença de idades, os dois conseguem se sair muito bem juntos, e eu daria tudo para ler um livro sobre o relacionamento dos dois, mesmo que seja um conto. Eles são fofos juntos e Quinn é a pessoal mais racional de toda a história, então o tanto que ele ajuda Courtney é o necessário para que ela consiga levar o planejamento do casamento da mãe.

O maior empecilho para os dois é, também, o passado da personagem, pois quando o pai morreu, ela viu sua mãe sofrer e, para ela, o amor é sofrimento. Quando brigou com a mãe, ela viu dor no amor das duas. Todas as vezes em que foi rejeitada por Sienna, ela não encontrou o amor de irmãs. Então ela não consegue acreditar que amor existe de fato.

"Courtney conhecia o perigo. O amor doía. Sempre. Todos os tipos de amor. Se você ama alguém, vai se machucar. Era assim. E não queria isso. Nunca."

Sienna é uma personagem a parte. Por muito tempo alimentei raiva por ela, a única coisa que salvava (em minha cabeça) era seu trabalho e a importância dele. Entretanto, comecei a entender um pouco seu lado. Na questão de menosprezar Courtney eu não consigo compreender, e acho que nem quero. Seus motivos para ignorar a irmã são razões fúteis, e ela não quer nem tentar ver a irmã mais nova de outra maneira. Aos poucos, durante a história, isso vai mudando, mas só porque ela descobre que Courtney não é apenas camareira, e isso soou como um preconceito para as pessoas que trabalham nessa área. Então em qual parte eu entendi Sienna? Pois bem, isso é até complicado, porque ela foi a personagem menos desenvolvida em toda trama, mas toda vez que ela aparecia, eu conseguia sentir o peso em suas costas. Ela não queria casar e vivia uma vida de fachada para as pessoas em sua volta, porque não conseguia demonstrar suas fraquezas. Na verdade, Sienna parecia ter medo de mostrar que era fraca, então preferia lidar com todas as suas crises para ela mesma, o que é errado.

Mas apesar de todo o ranço que eu senti da personagem e do pouco que eu gostei dela, Sienna conseguiu ter o melhor final. Foi super fofo e eu quase derreti, era tudo o que eu queria para ela.

"Ele tem razão, pensou ela, sentindo-se zonza. Estava deixando seus medos tomarem conta. David a amava. Deveria confiar nisso. Confiar nele. Talvez, ao fazer isso, aprendesse a confiar em si mesma."

Por fim, temos Rachel, a personagem mãezona, e não porque tem um filho de 11 anos, mas sim pelo cuidado que ela tem com as irmãs.

Rachel é cabeleireira e passou a sua vida se culpando pelos problemas de suas irmãs, principalmente porque enquanto sua mãe procurava trabalho era ela que cuidava das mais novas da casa. E isso foi um dos motivos da crise de casamento entre ela e Greg, pois ela não consegue pedir ajuda, quanto mais atolada ela ficava, menos ajuda ela pedia, e Greg, ainda novo, achava que estava tudo bem e podia sair com os amigos enquanto ela ficava em casa cuidando do filho. A falta de comunicação acabou com o casamento, porque de nenhum modo Greg era um babaca e Rachel era a oprimida, eles só não se comunicavam, então parecia que Rachel estava feliz daquela maneira. Quando Greg a traiu (uma vez, diga-se de passagem), o casamento acabou, e foi aí que ele percebeu que tinham mais coisas envolvidas, e agora ele quer lutar pelos dois.

Eu super torcia pela volta desse casal incrível. Greg se mostra um verdadeiro pai e marido em certo momento e todo o apoio que ele dá a Rachel é incrível, porque ela precisa lidar com ela mesma. Quando se separou, parou de se cuidar e ficou ainda mais estressada, e não adianta voltar a um casamento se ambos não tiverem mudado.

"Sim, houve, pensou. Muitas risadas e amor. Pelo menos, no começo. Mas depois, as coisas tinham mudado. Rachel havia crescido e ele não. Enquanto ela cuidava do filho e da casa, Greg saía com os amigos."

A história é bem clichê, você consegue saber exatamente o que vai acontecer, talvez não no caminho em que você possa imaginar, mas o final será o mesmo. Talvez seja pelo aspecto filme que passa na Globo à tarde, porém, isso nem chega a ser um problema, pois é interessante saber um pouco sobre essa família e lidar com personagens tão verdadeiros. É impossível não se envolver com a obra, então ela já ganha vários pontos por isso.

Terminei a leitura em êxtase e louca para ler mais livros da autora. É ideal para quem quer sair da ressaca literária ou apenas relaxar em uma tarde. Você vai terminar a leitura querendo participar de um casamento e querendo viver mais uma história de amor.

"Isso era amor? Não parecia nenhuma das definições que já tinha ouvido, mas talvez fosse diferente para cada pessoa. Talvez aquela fosse a sua versão do amor."

Nota: 4/5 ♥ 
*Livro cedido em parceria com a Editora*

Compre As Filhas da Noiva | Amazon | Saraiva

Um beijo e paz no coraçãozinho de vocês! ✩






10 comentários:

  1. Que lindo Ceci!!!!
    Amei mesmo!
    E essa sua resenha linkando as personagens ficou ótima, se já prendeu com a resenha imagina o livro!
    Faz um tempo que não leio chick lit e acho que esse seria uma ótima forma de retomar!

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É lindo sim haha Você vai amar!
      Muito obrigada :)

      Excluir
  2. Oi Ceci, tudo bem diva?

    Então, primeiro tenho que dizer que a sinopse tem uma boa proposta e nos deixa pensando que tudo será uma grande confusão em família e uma boa leitura. Me assustei um pouco ao ler que ele é meio clichê , mas como nem todos os clichês são ruins e seu ponto de vista final foi de que a leitura é agradável , ele deve ser uma boa pedida .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, chuchu!

      Acho que o clichê nessa obra caiu muito bem, então consegui relevar haha
      Ele é ótimo!

      Excluir
  3. Oiee...lendo a sua resenha vi que o livro é cheio de amores, traições e recomeços. A história parece ser muito boa, mas eu não tenho andado muito animada em ler romances clichés. E esse é desse tipo como você mesma disse. Tenho lido uns dramas para partir o coração e chorar horrores. rsrs...No inicio da resenha eu tinha ficado meio confusa em saber quem estava se casando, depois vi que era a mãe das meninas. Mas a história parece ser boa.
    Bjss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Kelly!

      É sim! Eu entendo, fico com saco também haha
      Nossa, eu sempre, amooo chorar em livros, sou uma doida.
      Poxa, desculpa, vou tomar mais cuidado na próxima vez :)

      Beijinhos!

      Excluir
  4. Oi Ceci! Eu não conhecia esse livro ainda aaaaaaa! Eu amo livros com bastante personagens assim, pela sua descrição e avaliação, deu para perceber que todos eles possuem uma superfície que esconde as verdadeiras camadas. E eu adoro isso! Fiquei muito curiosa para saber como a história se divide e apresenta os três pontos de vista. Fora esse climinho gostoso de sessão da tarde, né? Gosto muito de chick-lit, apesar de fazer muito tempo que não leio, mas com certeza vou incluir na lista de desejados. Adorei a resenha <3

    Beijos,
    http://abducaoliteraria.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Gi!

      Sério? Você precisa conhecer haha
      É assim mesmo, por isso é tão bom.
      Fico feliz em saber disso, obrigada :)

      Beijos!

      Excluir
  5. Ahhh, genteee, que livro lindo! Gostei muito da sua resenha, bem articulada. E sobre a história, amei a premissa.Também amo chick-lit. É incrível perceber o cuidado da autora de formar as características de cada uma das personagens, também me identifiquei com a mais nova (só pela sua resenha). Racquel parece ser a mais forte e Sienna um pouco "mediana", apesar de seu dilema com a questão de não conseguir amar realmente alguém, ela me pareceu o tipo de personagem que não tem nada de tãooo extraordinário, haha. Enfim, com certeza vou anotar o livro na lista.
    Beijos
    eusouumpoucodecadalivroqueli.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Mi!

      Muito obrigada!
      Então você vai amar, assim como eu.
      A mais nova é a mais legal, acho que cheguei a comentar que, para mim, ela podia ter um livro só dela haha
      Sienna é bem chatinha, o que eu gosto é o final dela que é muito fofo, Rachel é sensacional, a amei.
      Fico feliz em saber disso :)

      Beijos!

      Excluir