Harry Potter e a Pedra Filosofal | #HpcomCores

16 de jul de 2018
Foto: Andrea Justen

Ei! Tudo bem?
Depois de muito tempo, muita enrolação (preciso constatar essa parte), finalmente chegou o momento mais aguardado por muitas pessoas: O dia em que Cecília - eu mesma - li Harry Potter.

Para quem não sabe minha história com o livro é bem simples, vi os filmes há séculos atrás e não sou fã de fantasia, isso tudo resultou em: Não vou ler Harry Potter. Maaaas... Como muitos devem lembrar, eu sou caidinha por edições lindas, e quando vi a edição de HP (a que vocês podem ver na foto da postagem) eu me apaixonei, mas isso não foi o suficiente. Eu li também todas as resenhas de releitura da Vivi do O Senhor dos Livros ano passado, assim me apaixonei completamente pela obra. Meu pai, querendo colaborar com tudo, decidiu fazer uma maratona dos filmes de Harry Potter, e eu adorei (muito!). Por fim, quando coloquei meus livros no Amigo Secreto que eu participei no Natal (sim, oito meses atrás), decidi colocar a edição maravilhosa de capa dura de Harry Potter e a Pedra Filosofal, adivinhem... Ganhei! Convenhamos, o mundo queria que eu lesse e, no fim, eu li!

Hoje, diferentemente do que vocês estão acostumados, vocês não irão ler uma resenha, vou deixar com vocês a sinopse (porque sei que muitas pessoas não lembram ou não conhecem a história), mas dessa vez decidi fazer algo diferente. Na hashtag #HpcomCores - que será utilizada no Instagram e no Blog - vocês poderão conferir a minha opinião sobre cada obra, o que eu achei, se me surpreendeu, se foi o que eu imaginei, enfim... Vocês terão uma resenha, mas voltada muito mais para a opinião de uma pessoa que (supostamente) não gostava de Harry Potter.

E está na hora de contar para vocês um pouquinho sobre Harry Potter e a Pedra Filosofal, livro inicial desse mundo fantástico que conquistou vários corações.

Harry Potter e a Pedra Filosofal - J.K Rowling

Sinopse: Harry Potter é um garoto cujos pais, feiticeiros, foram assassinados por um poderosíssimo bruxo quando ele ainda era um bebê. Ele foi levado, então, para a casa dos tios que nada tinham a ver com o sobrenatural. Pelo contrário. Até os 10 anos, Harry foi uma espécie de gata borralheira: maltratado pelos tios, herdava roupas velhas do primo gorducho, tinha óculos remendados e era tratado como um estorvo. No dia de seu aniversário de 11 anos, entretanto, ele parece deslizar por um buraco sem fundo, como o de Alice no país das maravilhas, que o conduz a um mundo mágico. Descobre sua verdadeira história e seu destino: ser um aprendiz de feiticeiro até o dia em que terá que enfrentar a pior força do mal, o homem que assassinou seus pais. O menino de olhos verde, magricela e desengonçado, tão habituado à rejeição, descobre, também, que é um herói no universo dos magos. Potter fica sabendo que é a única pessoa a ter sobrevivido a um ataque do tal bruxo do mal e essa é a causa da marca em forma de raio que ele carrega na testa. Ele não é um garoto qualquer, ele sequer é um feiticeiro qualquer; ele é Harry Potter, símbolo de poder, resistência e um líder natural entre os sobrenaturais. A fábula, recheada de fantasmas, paredes que falam, caldeirões, sapos, unicórnios, dragões e gigantes, não é, entretanto, apenas um passatempo.


Foto: Cecília Justen | Universal Studios - Orlando (Flórida)

Poucos dias antes começar a minha leitura assisti a todos os filmes do Harry Potter, então eu já sabia tudo o que ia acontecer, pelo menos no final. Lembrei até de alguns detalhes que eu não fazia ideia, então entrei na obra com todos os spoilers possíveis (uma escolha minha), logo saibam que a minha opinião não será de alguém surpresa.

Esse é o primeiro livro e a história já começa com a introdução da vida triste do Harry - órfão que vive com os tios e o primo que o maltratam - e depois ganhamos a parte divertida: Harry descobre que é um bruxo e vai para Hogwarts. O livro também foca em uma aventura que Potter terá junto com seus dois amigos em busca da Pedra Filosofal (uma pedra que dará a imortalidade) para destruí-la antes que o "lado negro da força" a pegue. O "lado negro da força" é também conhecido por "Você-sabe-quem" ou Lord Voldemort (se você tiver coragem de dizer o nome dele).

Entrei completamente na história, porque estava muito curiosa (graças aos filmes), então fiquei muito feliz quando finalizei a leitura e percebi que o lado cinematográfico é bem parecido com o literário. Obviamente, o meu favorito foi o segundo.

Ler Harry Potter e a Pedra Filosofal foi como embarcar em uma aventura, uma aventura irreal que eu gostaria muito de transformar em verdade. Mas falando em uma coisa que eu gostaria até mais do que viver a obra, essa coisa era ter lido a história (exatamente essa, não outra) aos 10/11 anos, isso porque eu teria a idade dos personagens me sentindo muito mais próxima deles, e a narração de J.K me pareceu bem infantil. Não entendam isso como algo ruim, pois achei deliciosa, então isso teria me feito uma fã voraz da série na época. Entretanto, a leitura foi feita bem depois e, nos dias atuais, não consegui pegar a mesma empolgação que teria se tivesse lido há anos. Não estou falando que HP é coisa para criança, mas ultimamente não tenho sido o tipo de leitora que realmente se apaixona por uma história e, se isso acontecesse, não acho que seria com Harry Potter.

Isso não quer dizer que a obra tenha me decepcionado, de forma alguma. Eu já sabia o final e, imagino que fora chocante para as pessoas que não o sabiam, mas mesmo assim eu estava empolgada e super feliz em ler. A história é pequena com poucas páginas, por isso quando acabei senti falta, queria mais, mais daquela ação e agitação. Confesso que achei que fosse encontrar uma riqueza maior em detalhes, principalmente nas cenas finais, porém, também não foi ruim, já que fiquei lembrando as cenas que não estavam presentes no filme.

Falando em filme, gostei muito dos personagens, principalmente o Rony, e todos os momentos eu ficava pensando neles como os atores do lado cinematográfico. Foi muito animado e estou muito contente de ter (mesmo que depois de um bom tempo) entrando nesse mundo, pois cada detalhe foi muito enriquecedor. Os personagens são sensacionais, me apeguei a cada um deles (até mesmo ao Draco) e queria fazer parte daquilo tudo, principalmente se eu estivesse na Grifinória, mas os testes da internet me mandaram para Lufa-Lufa. Aproveitando, qual é o preconceito das pessoas (vulgo Herminone) com a Hufflepuff?

Outro ponto muito legal é imaginar (mesmo que você pense no filme) os cenários que J.K nos narra. Como escrevi anteriormente, esperei mais detalhes de algumas coisas, mas adorei ficar pensando na escola e em como seria lindo e mágico conhecer aquilo tudo.

Fico muito feliz por ter realizado a leitura, preciso então agradecer a Vivi (e suas resenhas incríveis), a Moni (e o melhor presente de Amigo Secreto) e ao meu Pai (e sua insistência para assistirmos ao filme). Graças a esses seres humanos eu tomei vergonha na cara e decidi que ler Harry Potter poderia ser muito mais brilhante do que eu poderia imaginar. No final, sei que a leitura foi extremamente agradável e agora preciso agradecer a minha mãe por ter me dado de presente Harry Potter e a Câmara Secreta.

Prometo que terei essa coleção de capa dura completa e garanto que a lerei toda. Continuarei contando para vocês a minha experiência como leitora principiante de HP e espero que vocês gostem dessas postagens tanto quanto eu estou gostando de fazê-las. Até final do ano, espero terminar a série para olhar o final dessa postagem sabendo que virei uma verdadeira fã de Harry Potter.

5 comentários:

  1. Primeiramente: DE NADA!
    HAHAHA
    Fico tão feliz que vc mergulhou de cabeça e conseguiu se identificar :) é um mundo muito mágico! JK arrasa muito nas descrições e as adaptações conseguiram passar bem os cenários.
    Mione é gente boa, não pega no pé dela hahaha
    Como fã, agora vc precisa ler tudo e depois reler e reler e reler hehehe, e claro, assistir os filmes eternamente!!
    Vc viu que tem encontro de HP na bienal?

    osenhordoslivrosblog.wordpress.com

    ResponderExcluir
  2. Ahh Vivi, o que seria da Cecilinha sem você? Hahah
    Eu percebi isso, foi o que mais me agradou em tudo o que eu li.
    Não tem como, vou pegar sim!
    Farei com os livros o que já faço com os filmes :)
    Vi sim, mas infelizmente só ficarei na Bienal no dia 04 :/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não tem problema! Eu gravo e coloco video no igtv!!

      Excluir
  3. Amei o post, nunca li Harry Potter, mas gostaria muito
    Me deixou com mais vontade
    Beijos
    http://www.opsquerida.com.br/
    https://www.facebook.com/blogopsquerida/
    https://www.instagram.com/siteopsquerida/

    ResponderExcluir