Nova Jaguaruara | Resenha

8 de dez de 2018
Foto: Gabriel Ferrari

Oi! Tudo bem com vocês?

Faz algum tempinho que conversamos aqui no Cores em uma outra resenha a respeito do YouTube e o benefício do uso da internet no nosso dia a dia. O acesso à informação é abundante e hoje é muito fácil descobrir livros e novos conteúdos através da grande rede. Foi através da ferramenta de vídeos do Google que descobri inúmeros livros e autores independentes com histórias grandiosas dignas de todos os holofotes literários. Os mais diversos booktubers preenchem os devaneios de nós leitores, nos dando dicas, fazendo resenhas e comentando sobre aquele livro que você estava super curioso pra ler, porém não tinha certeza se valia ou não a pena comprar. Eles também desempenham um importante papel indicando livros poucos conhecidos, autores novos no mercado editorial e histórias independentes. Foi exatamente assim que conheci o livro “Nova Jaguaruara” do autor brasileiro Mauro Lopes, disponível na Amazon em sua versão digital.


O Crime do Padre Amaro | Resenha

6 de dez de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :)

Hoje, mais um clássico, mas infelizmente o último do ano. E nada melhor do que terminar com a amargura de Eça de Queirós pela Igreja Católica. O autor, que viveu em Portugal em um período em que a religião influenciava a vida de todos, via a ciência como uma grande solução, por isso vem O Crime do Padre Amaro, para chocar a sociedade e mostrar que o catolicismo da época era extremamente incoerente.

Abrindo o Realismo, sim uma das matérias de Literatura, Eça abandona todo o lado do Romantismo para nos mostrar o óbvio, o claro, não deixar brechas para idealizações e criticar toda a realidade. Ficou curioso? Vem comigo, mas venha preparado.

O Crime do Padre Amaro - Eça de Queirós

Sinopse: O autor adota um ponto de vista desapaixonado para narrar a história da infeliz Amélia, seduzida pelo inescrupuloso Amaro, que entra para o convento graças à imposição de uma nobre beata. Sem vocação alguma, o padre aceita o seu destino passivamente, mostrando absoluto desinteresse pela profissão que abraça sem entusiasmo, e termina pecando contra a castidade, traindo os votos proferidos na sua ordenação. Amélia, educada em um ambiente fervorosamente católico, acostuma-se a viver em um meio hipócrita. Sua atração pelo padre, pura paixão carnal que a desorienta e destrói, nasce da falta de referências morais e do desconhecimento completo do que seja o amor. Os burgueses, os aristocratas, os políticos, os sacerdotes são os vários componentes de um sistema social decadente e perverso. Os seres humanos não são indivíduos propriamente, mas temperamentos dominados pelo instinto e pelo meio social, que lhes determinam o modo de agir.


Nada Escapa a Lady Whistledown | Resenha

5 de dez de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :)

Podem falar, eu sei que demorou muito (desde o lançamento até hoje) para a resenha do segundo livro de Lady Whistledown sair aqui no blog. Não tenho nenhuma desculpa relevante, por isso, nada melhor do que pular minha introdução e ir direto para mais uma postagem sobre a melhor fofoqueira de romances de época.

Nada Escapa a Lady Whistledown - Julia Quinn, Mia Ryan, Suzanne Enoch, Karen Hawkins 

Sinopse: Julia Quinn encanta... A alta sociedade está em polvorosa, afinal a debutante mais promissora da temporada foi rejeitada por seu pretendente, apenas para ser conquistada em seguida pelo charmoso irmão mais velho do canalha que não a quis. Suzanne Enoch fascina... Um futuro noivo fica sabendo que o comportamento escandaloso de sua bela prometida foi parar na coluna de lady Whistledown e volta correndo para Londres com o intuito de ganhar o coração da moça de uma vez por todas. Karen Hawkins seduz... Um conhecido libertino tem sua amizade mais antiga e seu coração postos à prova quando uma adorável dama se encanta por outro cavalheiro. Mia Ryan delicia... Uma jovem é despejada da própria casa por um detestável – embora charmoso – marquês que pretende tomar posse não apenas do imóvel, mas também de sua antiga moradora.


5 livros da Editora Arqueiro para você presentear no Natal

4 de dez de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :) 

Como vocês bem sabem todo final de ano eu venho até aqui para compartilhar com vocês alguns livros com selo 5/5 que podem ser escolhidos para presentear alguém ou a si mesmo no Natal. Dessa vez eu decidi aparecer na primeira semana de dezembro porque ano passado eu ouvi gente dizendo que a postagem tinha saído tarde demais, então para ninguém reclamar estou aqui para divulgar cinco histórias maravilhosas publicadas pela Editora Arqueiro, uma queridinha do blog e nossa parceira.

Durante o mês teremos mais uma postagem com mais 5 indicações, então fiquem tranquilos. 

O Seminarista | Resenha

3 de dez de 2018
Foto: Cecília Justen

Ei! Tudo bem?
Espero que sim :)

Vamos terminar a segunda-feira com resenha de um clássico nacional e uma novidade incrível: dezembro o blog terá postagens (quase) todos os dias! Sim, essa notícia é real. Isso não estava planejado, mas como precisei abandonar esse cantinho para me destacar em outras áreas, acabou que fiquei muito enrolada com as postagens, principalmente aquelas de parcerias, então, para compensar e terminar o ano de um jeito maravilhoso, aparecei muitas vezes por aqui.

E hoje o escolhido foi mais um clássico, porque eu estou amandando falar com vocês sobre os meus queridinhos. Escrevendo sobre queridinho, é claro que Rubem Fonseca não está aqui sem razão. Um dos autores que chegou aos poucos no meu coração e eu ainda tenho muito que descobrir, mas a cada leitura me apaixono mais. Então vem comigo que eu mostro para você o seminarista, um assassino que decidiu se aposentar, mas seu passado não irá aceitar isso. 

O Seminarista - Rubem Fonseca

Sinopse: Para o protagonista de O Seminarista, matar não causa remorso, mas também não causa prazer. É apenas seu trabalho, que lhe permite se dedicar àquilo que realmente ama: livros, filmes e mulheres. Não quer saber quem é a pessoa que será eliminada, nem mesmo lê os jornais no dia seguinte. Quando, no entanto, decide que já é hora de abandonar a profissão, descobre que não é tão imune aos efeitos de seus trabalhos e de suas escolhas como acredita ser, e tem que enfrentar fantasmas de um passado que pensar ter superado.

Misery | Resenha

1 de dez de 2018
Foto: Gabriel Ferrari
Olá, pessoas! Tudo bem com vocês?

Como prometido na resenha de sábado passado, hoje temos o mestre do terror aqui no Cores, podem se esconder em baixo de suas camas! Piadinhas à parte, eu havia planejado trazer a resenha desse livro aqui pra vocês na semana do Halloween, ou seja, em outubro. Mais uma vez, diversos imprevistos ocorreram, comprei o livro um tempo depois e cá estamos, quase dois meses atrasados, porém, peço que vocês relevem, pelo menos consegui escrever ainda em 2018. (rindo de nervoso).

Hoje é dia de falarmos de Misery do emblemático Stephen King. Tenho um projeto pessoal de ler todas as obras do "rei" e eu não estou maluco: Eu sei, são inúmeras, se levarmos em conta os contos e histórias paralelas, porém o desejo de conhecer melhor esse universo fantástico criado por ele em seus livros fala mais alto. Se você conhece ao menos um pouquinho do seu trabalho, você sabe que há na internet misteriosas teorias que dizem que todos os seus livros estão conectados de alguma forma. Nunca tivemos um posicionamento oficial por parte de King confirmando ou negando a ligação entre os personagens e livros, mas isso já é o suficiente para que a imaginação de seus leitores viajem para beeeeem longe.

Misery é uma dessas histórias emblemáticas escrita por King em 1987 e dizem que em sua narrativa há diversos easter eggs e ganchos que King utilizou para a criação de alguns de seus outros clássicos. Prometo trazer pra vocês um dia desses um post dedicado justamente para discutirmos todas essas ligações e teorias, porém hoje vamos focar na terrível história de Misery.


The Sinner | Crítica

29 de nov de 2018

Oi gente! Tudo bem por aí? Por aqui está tudo certo. Novembro foi um mês em que eu não assisti a muita coisa nova, pra falar a verdade. Me peguei muitas vezes vagueando pelo catálogo da Netflix sem saber o que escolher. Foi aí que eu soube que a segunda temporada de The Sinner tinha sido lançada e decidi começar essa série que já estava na minha lista desde o seu lançamento. 

A série, que estreou em agosto de 2017 pelo canal americano USA Network e foi trazida ao Brasil pela Netflix, é baseada em um livro de mesmo nome da escritora alemã Petra Hammesfahr. Com uma primeira temporada de apenas 8 episódios, ela foi lançada como uma minissérie, porém devido ao sucesso, uma segunda temporada também foi produzida.